domingo, 14 de fevereiro de 2016

OLHAR

O mar sentou-se para ouvi-la.
Exigiu silêncio às ondas.
Adormeceu os peixes e apagou o sol.
Ela, comovida com tanta atenção,
Iniciou sua fala de inseguranças.
Riu, chorou, ponderou.
Ao final da exposição,
O mar ergueu-se olhando-a nos olhos.
Ela confiava nele.
Deixou-se abraçar sem temor.
Desapareceu para todo seu sempre,
Na certeza do novo todo prometido
Na luz daquele olhar.

5 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Quando o mar exigiu silêncio às ondas
estava ele a abraça-las
e abraçados
partilharam
segredos
com sabor a sal

Pedro Coimbra disse...

Belíssimo texto.
Sublime diria mesmo.
Boa semana

heretico disse...

assim os abraços do mar e suas ninfas...

Fê blue bird disse...

Confiar no mar é confiar no amor.
Lindo seu texto poético amiga Gisa.
Um beijinho

Andradarte disse...

O entardecer lava-nos à reflexão....
a sentir do poeta ajuda...
Beijo