domingo, 30 de dezembro de 2012

2013

Baldes de tinta colorida espraiando bom humor.
Músicas melodiosas,ou nem tanto, enchendo os espaços.
Sorrisos debochados
Olhos acesos
Bocas úmidas
Corpos colados.
Pernas entrelaçadas
E muito, muito amor para dar e receber.
Tudo isso, junto e misturado
No ano que irá chegar!
Tin-tin!
FELIZ 2013!


MILHÕES DE BEIJOS
GISA

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

RECOMEÇO

No meio do redemoinho
Ela surge.
Cabelos em alvoroço
Pele fresca.
Pousa sob a terra
E começa, imediatamente, a cavar.
Bate em algo.
Sorri e desenterra aos poucos.
Surge o rosto, os braços, o corpo
Quentes como na primeira vez.
Exatamente onde havia deixado
Há tantos anos atrás
Para seguir sua missão.
Trabalho completo a contento
Mostra com alegria
Que a espera de ambos havia terminado.
Teria valido a pena?
Nada mais importa agora.
Seguem de mãos dadas
Do ponto em que haviam parado.
O horizonte veste-se de luz para recebê-los
E o mar os engole devagar
Com requintes de encantamento.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

MEDO

A lava que sai dos meus olhos queima meu rosto.
Transfiguro-me à medida que o incandescente se condensa.
No espelho, meto medo em minha consciência.
Meu inconsciente ri diante da covardia da companheira de habitação.
Quem madou querer ocupar o solo? - pensou divertindo-se,
Enquanto abria a meia-água e saía para voar
Cortejando a lua cheia.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

NATAL

Que o Natal não seja somente hoje e amanhã!
O ideal é viver o Natal todos os dias!
Muitos beijos a todos e obrigada pela excelente companhia!
FELIZ NATAL
QUERIDOS AMIGOS!
Mais bejos
GISA

domingo, 23 de dezembro de 2012

DESABAFO

Vejo o rochedo cedendo à tempestuosidade do mar
Tenho medo.
Minha obra construída sobre ele já balança.
Ficarei até o último momento.
Se tudo afundar,
Terei que me acostumar com a nova paisagem,
Pois estará chegando a hora de abrir novos portões
E tentar recomeçar a caminhada.
Estou triste, mas em pé.
Irei chorar e seguirei.
Sem olhar para trás.

sábado, 22 de dezembro de 2012

CANTIGA

Se essa rua fosse minha
Encheria de flores coloridas de confeitos
Se essa rua fosse minha
Perfumaria com gotas de chocolate.

Eu mandava
Abrirem todas as janelas de par a par
Eu mandava
Todos virem para as ruas sorrindo.

Ladrilhar
Eu iria todo o espaço
Com pedrinhas
De estrelas carmim
Com pedrinhas
De faíscas pulsantes
De brilhante
Profundo.

Para o meu
Só para o meu
Para o meu
Amor
Paixão
Tudo de bom
Passar.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

PURO

Subiu ao céu e se desfez em chuva.
Caiu em pingos tão leves
Que o fez parar de chorar.
Gostou ao vê-lo ali,
Estático,
De rosto erguido
Aproveitando cada gota sua
Rolando por todo 
Aquele corpo
Que gostava de lhe pertencer.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

IMPRESSÕES

Tenho teu sorriso impresso na minha retina.
Tenho teus olhos impressos no meu peito.
Tenho tuas mãos impressas na minha cintura.
Tenho tua boca impressa no meu ventre.
Tenho teu calor impresso no meu frio.
Tenho tua ausência impressa na minha solidão.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

FRAGMENTOS

A cada passante
Ofertava um pedaço de si.
Não sentia dor
Ao arrancar os pequenos fragmentos.
Ficava feliz.
Adorava vislumbrar a possibilidade
De um dia acabar como um todo,
Transmutando-se em vários uns.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

LADRILHOS

Mirava-se nos ladrilhos coloridos
E vivia.
Triste,
Procurava o reflexo vermelho
Da aventura e do prazer.
Quando a alegria lhe tomava conta,
Queria ver-se na cor negra
Para conter os impulsos em demasia.
Pensativa,
Recorria à força do amarelo
Refletindo-o nos mínimos detalhes planejados.
Desanimada,
Ia direto ao encontro do lilás
De onde conseguia construir a escadaria do retorno
Ao mundo da luta.
Mirava-se nos ladrilhos coloridos
E vivia
Na certeza de que nada
Nunca, iria lhe faltar.


domingo, 9 de dezembro de 2012

METAMORFOSE

Do fundo do poço
Dois braços saíram
A música hipnótica
Pensar não deixava.
Lutas vãs
Assustadas fugiram.
Atônita deixou-se
Para o breu ser levada.

De visco e nojo
Completamente coberta.
Olhou na volta
Procurando caminho.
Tombou no chão
Virtudes abertas.
Satisfez a lascívia
Daqueles sem ninho.

Ferida em tiras
Ergueu-se sem medos.
Cambaleou nos passos
Vazios e mutantes.
Transformou-se na erva
Maldita, estranhos bruxedos.
Floresceu no lodo
Infeliz dos degradantes.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

OLHAR

Meu olhar
Surfou nas ondas,
Escalou montanhas,
Cavalgou as nuvens,
Despencou nas cachoeiras,
Levantou o pó das estradas
Principais e alternativas.
Meu olhar buscou os lugares
Mais remotos e mais circundantes,
Mais escondidos e mais expostos,
Mais inusitados e mais óbvios.
Meu olhar fechou-se tentando.
E isso, é o que realmente importa.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

BEL-PRAZER

Ser encontrada,
Odiava.
Gostava da liberdade
De surgir do nada
E surpreender.
Era vento,
Nuvem,
Fumaça,
Gás...
Era onipresente
A seu bel-prazer.

sábado, 1 de dezembro de 2012

BRINCADEIRA

Borrifou o espelho
Com um pouco d'água.
Sorriu.
Agora tinha um universo
De estrelas cadentes,
Todo a sua disposição!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

PODRIDÃO

Dissolvi em pleno meio dia.
Escoei pelas frestas mal cheirosas
Do assoalho apodrecido.
Misturei-me aos vermes
Que lá habitavam.
Mendiguei comida às baratas.
Sobrevivi e sobrevivo assim,
Até o dia do retorno
Sem data,
Mas com garantia
De que ainda irá existir.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

TRISTE

Tela branca.
A ausência recortada
Sobre o cavalete
No meio do peito
Brilha.
O resto é sombra.
Sombra do que
Planejei ser.

domingo, 25 de novembro de 2012

TRABALHO

Entrou na sala
E desfez-se 
Entre as tintas da paleta.
Permaneceu silente
Enquanto o pintor
A matizava para alcançar
O tom ideal.
Apreciou as voltas
Que o pincel dava 
E como ele transitava
Desembaraçado pela tela.
Observava-se ora em um lado,
Ora em outro.
Sentiu-se múltipla e única
Em um único instante.
Ao final,
Apreciou-se no brilho 
Dos olhos do mestre
E sorriu para ele de volta.
Definitivamente,
Haviam feito 
Um excelente trabalho.

sábado, 24 de novembro de 2012

GRAVIDADE

Tudo flutuava a sua volta.
A força atrativa do seu umbigo
Cada dia estava maior!
Que bom era ser o centro do universo!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

HUMANA

Traçou os cinco planos
E saiu às pressas.
Executou o primeiro
Com desembaraço.
O segundo
Deu-lhe mais trabalho,
Mas concluiu rindo.
O terceiro e o quarto
Consequências dos demais
Pareceram bem mais simples,
Desinteressava-se por todos
Tão logo atingia o êxito.
Chegou ao quinto,
Com louros de vencedora.
Armou-se e falhou.
Insistiu e foi derrotada novamente.
Tentou outras tantas vezes
E o dissabor
Da frustração
Invadiu sua boca
Por completo.
Entregou-se cinza
À derrota inimaginada.
Era falível enfim.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

PEDRA E VENTO

Ela chorava enquanto ele ia.
Ele chorava enquanto ela ficava.
Ela sabia que deveria ficar.
Ele sabia que deveria ir.
Ela não entendia o porquê de ele ir.
Ele não entendia o porquê de ela ficar.
Ela queria poder ir.
Ele queria poder ficar.
Ela olhava o nada para onde ele ia.
Ele olhava o nada onde ela ficava.
Lágrimas selaram o sonho que
Acabava de se formar.

domingo, 18 de novembro de 2012

MOVIMENTO

Do seu olhar frívolo de estátua observava o movimento.
Guardas-chuvas,
Saltos altos,
Bonés,
Ônibus,
Risos,
Cachorros,
Beijos,
Bicicletas,
Jovens,
Carros,
Conversas entrecortadas,
Errantes,
Assobios,
Outdoors,
Velhos,
Futebol,
Gritos,
Algodões-doces,
Tiros,
Danças,
Cartazes,
Balões,
Ambulantes,
Bolas,
Carinhos,
Sorvetes,
Lágrimas,
Skates,
Música,
Vida,
Brincadeiras,
Protestos,
Sorrisos,
Morte.
Do seu olhar frívolo de estátua observava o movimento.
E estava certa que assim desejava continuar.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

ILUSÃO

Sentiu-se inebriada
Pela magia do regresso.
Preparou sua rota
Para alcançar o passado
E fazê-lo florescer no presente.
Preparou cada detalhe
Tendo as lembranças
Como companheiras atuantes.
No dia esperado
Abriu a porta.
Já vislumbrava
Algo vindo ao longe.
Vibrou com a expectativa.
Em instantes
Foi tomada pela névoa amarelada
Das recordações.
Chorou ao perceber-se imóvel,
Transformada na imagem sépia,
Das antigas fotografias.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

BELEZA

Era linda
E de tanta beleza
Resolveu habitar o jardim.
Causou inveja ao passar.
Vou convidada para um lugar de destaque,
Em meio a tantas outras iguais.
Agradeceu e posicionou-se.
Consentiu que seus cabelos
Entrassem terra a dentro
Fixando-se ao solo
E prontas estavam as raízes.
Seu corpo alvo e esguio
Pintou-se do verde mais claro
Transformando-se em haste.
Suas pernas abriram
E folhas se tornaram.
Do meio das folhas
Nasceu a flor mais bela
Rubra, orvalhada.
Seu perfume atraía
A longas distâncias.
Ficou esperando
Até que alguém se atrevesse
A senti-lo de mais perto.
Seria rápida em seu bote.
Devoraria a presa
Sem que essa percebesse
Inebriada por sua magia
Tão característica
Das plantas carnívoras.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

ATITUDES

DESISTO  ENTERRO    FUJO   VOU   CANSO   

VOO   ENCERRO  ESCAPO  FINALIZO    DESERTO

ESCOO  SUMO  AFASTO  EVITO  DESVIO

ESQUIVO   DESAPAREÇO  PERCO   OCULTO

SUBMERJO   ELIMINO  EXTINGO   DESTRUO

L I B E R T O - M E!


domingo, 11 de novembro de 2012

ALTOS

Do
Alto
Da
Altura
Alcançada 
Do
Alto
Do 
Seu
Salto
Mais 
Alto
Olhou
Além
Almejando
Com
Todas
Suas
Artérias
E
Veias
Se
Tornar
Alheia
Dos
Olhares
Diretos.
Conseguiu!
Vibrou 
No
Alto
Do
Seu
Salto
Alto
Mais
Alto
Brindando
Com
Sua
Mais
Alta
Auto
Estima.

sábado, 10 de novembro de 2012

BURRICE

No vácuo gritou todas as palavras insensatas
Que há muito trazia aprisionadas na garganta.
Imóveis e assustadas,
Sem conseguir a devida propagação,
Foram recolhidas com toda facilidade
E trancadas no roto baú dos sentimentos abandonados.
Foi embora aliviado.
Sorte que as palavras não entendem nada de física!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

REPRISES


Reprises não são permitidas.
Como irei fazer para me livrar
Da tua sombra em meus olhos?
Da tua boca em meu corpo?
Das tuas mãos em carícias?
Reprises não são permitidas.
A tela apagou.
A luz acendeu.
E o mundo me espera
Gargalhando por minha confusão
Repetindo ironicamente:
Reprises não são permitidas.
Reprises não são permitidas.
Reprises não são permitidas.
Reprises 
não 
são 
permitidas.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

FARTO

Ela queria acreditar nele.
Entendia todas as questões,
Por mais absurdas que lhe parecessem.
Estava sempre pronta a recebê-lo.
Com a mesma flor úmida nos lábios
E o igual calor dos braços
Lembrando os dias de início.
Ele, farto de tanta solicitude, foi-se.
Não tolerava a mesmice dos atos.
Não poderia aceitar alguém
Que se recusava a evoluir no sentimento.


sábado, 3 de novembro de 2012

PRÊMIO DARDOS



O "Prêmio Dardos"  é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc., demonstrando sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras e palavras.
Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e o reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Dois amigos, daqueles do tipo grandes amigos, me honraram com este troféu.

ROGÉRIO PEREIRA
do "Conversa Avinagrada"


É um amigo de longa data. Desde que comecei a minha viagem por este mundo ele tem sido um grande companheiro. Constantemente me dá o prazer de escrever em "parceria" utilizando seus comentários como continuações, repostas ou contraposições aos meus posts ou até mesmo criando novos posts em seu blog, (como aqui). Todo este carinho e interação me propiciou até coragem, para enquanto lia, ia  comentando todo seu livro "Almas que não foram fardadas" estabelecendo, assim, um diálogo entre leitor e escritor utilizando para tanto um lápis e as margens em branco das folhas de seu próprio livro.
Obrigada Rogerito por todo carinho que sempre me dispensas. Quero que saibas que és muito importante para mim e nossa amizade será para sempre. Um grande beijo no teu coração.

O segundo amigo que muito me honrou com sua indicação foi
FRANCISCO MIGUEL DE MOURA
MEU QUERIDO CHICO
dos blogs
"Revista Cirandinha"
"A Bodega do Camelô"
"Francisco Miguel de Moura"


O Chico é aquele tipo de amigo que dá vontade de passar horas e horas na sua companhia. Apesar de não nos conhecermos pessoalmente temos uma dedicação mútua. Somos Amigos com "A" maiúsculo! Desde o primeiro instante que entramos em contato a distância que nos separa (Pelotas - RS e Teresina - PI =3.131km, eu pesquisei no Google!) em nada interferiu. Estamos sempre em sintonia. Por mais de uma vez (aqui e aqui) fui presenteada em seu blog e pelo correio mais duas vezes ("O menino quase perdido" e "Antologia - Poemas escolhidos pelo autor").
Chico meu queridíssimo Amigo! Convido-te a continuarmos rasgando este nosso Brasil de norte a sul com nossa energia sempre renovada! Obrigada por teu carinho e amizade! Adoro-te! Muitos beijos em teu coração!

Muito bem, agora passemos às regras:

a) Revelar o link do blog que me atribuiu o prêmio: OK
b) Exibir a imagem do prêmio: OK
c) Escolher 15 blogs para premiar: aí vem a mais árdua tarefa!

Sempre tento fugir desse tipo de regra. Detesto regras! Mas hoje vou fugir da minha regra mais básica que é detestar regras e tentar indicar alguns blogs amigos que mais tenho contato, assim aí vão (desculpem se esqueci de alguém, na próxima vez eu corrijo):

- Cris Campos "A parte e o todo de mim": gosto do blog da Cris ela sempre mistura em suas postagens imagens, poemas, músicas e vídeos. É um blog rico de conteúdo. Vale conferir.

- José - "JMIR": blog rico de textos, vídeos e fotografias. Adoro muito,além dele ser um grande e querido amigo de muito, muito tempo, desde o início deste blog e assim continuará sendo por toda vida, tendo certeza!

- AC - "Interioridades": Outro grande e querido amigo a quem prezo muito e admiro. Os poemas de AC são tão belos quanto introspectivos e cheios de sensibilidade  Gosto da maneira com que ele aborda a vida mergulhando de ponta cabeça nela.

- Antônio - "Dactyliotheca": Um amigo que nunca me falta, sempre atento ao meu blog e a nossa amizade. Textos, imagens, pinturas, filmes, críticas. Conteúdo é que não falta neste blog! Sempre um espaço aprazível para se aprender muito.

- Hugo Nofx "A Convicção da Dúvida" : muita música, vídeos e textos de grande qualidade, além de um lindo gatinho no perfil. Adoro!

- Fê Blue Bird "Só te peço 5 minutos": essa e uma amiga especial. Há muito somos amigas de idas e vindas nos respectivos blogs. A delicadeza e a suavidade dão a tônica das postagens sempre tão especiais.

- WCastanheira - "WCastanheira": um grande amigo! Amo os seus delírios de final de tarde, inspirações máximas a posts maiores ainda! Beijos para ti guri!

- Lufe - "Buteco do Lufe": Lufe é daqueles sujeitos que a gente se apaixona. Mineirinho, quieto e muito sagaz e inteligente. Narra coisas simples da nossa gente do interior. Uma delícia lê-lo!

- Heretico - "Relógio de Pêndulo" : poemas bem escritos, uma grande consciência social e política. Um blog forte e de conteúdo impecável.

- Marinha - "Construtora de Palavras": esta moça é um doce! Uma das minhas primeiras amigas por aqui. Gaúcha como eu, tem uma escrita leve e agradável. Adoro passear por ali e me deleitar com suas postagens.

- Vinícius - "Alma do Poeta": um grande amigo poeta. Poemas repletos de cores e amores. Sensibilidade em grau máximo. Um espetáculo para ser assistido e degustado.

- Vanessa - "Escritora de Artes": uma querida amiga e grande poetisa. Escreve com desembaraço, sensibilidade e beleza  que fazem a gente voar alto e longe. Gosto das sensações que ela me oferece quando passo por lá.

- Leonardo - "A barca dos amantes": meu querido amigo Barqueiro. Poemas profundos, cheios de imagens, contornos e belezas. Um prazer navegar contigo.

- Andradarte - "Andradarte": seus trabalhos vão de imagens produzidas em computador até rebuscados azulejos e mosaicos. Um artista que nos dá prazer visual de grande beleza.

- Sérgio - "A Teoria do Kaos": um fotógrafo que produz trabalhos incríveis. Luzes e cores não são mistérios para ele. Maneja a lente captando o mais perfeito ângulo, só para que possamos apreciar a vida com outros olhos.

- Manoel - "Blog do Óbvio": O Manoel sempre quer a sua opinião sobre seus posts. Geralmente lança uma pergunta aos leitores o que motiva a pensar sobre os textos. Gosto de passar por lá e ser instigada sempre por temas interessantes que ele traz tão bem à discussão.

- Blue Shell - "Blue Shell" : Imagens e textos muito bem conjugados em um blog extremamente bem cuidado. Leitura agradável e visual lindo.

- Catia - "Cátia Bosso Poesias": Catita, outra parceira de longa data. Seus poemas são uma delícia e ela uma flor de pessoa. Vivemos andando por lá e por cá sempre com muita alegria e amizade.

- Dilso - "Cronutopia": sempre um texto em prosa com muito conteúdo. Opiniões certeiras a respeito de assuntos variados. Traz sempre uma boa reflexão.

- Maria Luisa - "Fulva Lux": Arte, muita arte seguida de uma excelente análise crítica. Um blog de um conteúdo impecável e rico. Adoro suas escolhas e aprendo muito com elas.

- Inaie - "Inaie Out and About": adoro a Inaie! Isso é definitivo para mim! Textos leves com muito humor sobre sua vida, família e viagens. Se quer ler algo agradável não há como não ser seguidora dela. Sou fã de carteirinha!

- Luis - "Lidacoelho: gosto dos textos do Luís. Trabalha muito com suas memórias de um tempo lindo onde a amizade, a família e o amor não eram apenas verbetes de um dicionário eletrônico.

- Silenciosamente Ouvindo - " Magia": O nome já diz tudo: Magia. Um blog de sonhos e muita, muita magia para todos que por lá passam.

- Cecília - "Oceano Azul Sonhos": outra amiga incrível com quem eu adoraria sentar e conversar uma tarde inteira. Poetisa de mão cheia! Trabalha a sensibilidade e a beleza com a magia de suas palavras. Adoro!

- Julie - "Poemas de Julie Sopetrán": A Julie é outra amiga antiga do meu blog. Seus poemas e sua delicadeza dão a tônica da beleza que envolve a nossa amizade. Gosto de ir por lá. Gosto dela por aqui!

- Vieira Caldo - "Poesia de Vieira Calado": um poeta e tanto! Viajo por suas letras e perco o chão. Divago nos seus textos e vibro com sua energia sempre tão bem distribuída a todos em forma de palavras.

- Rosa - "Rosa Solidão": Rosa é doce e meiga. Quando a leio, tenho vontade de sentar-me ao lado dela e pedir que me declame seus textos. Imagino sua voz melodiosa acariciando cada palavra escrita.

- Paulo - "Tarrafeando" com certeza nossa distância é a menor que há. Ele mora muito perto da minha casa. Um amigo com textos bem analisados e de muito conteúdo.

- Adélia -"Flor de Jasmin": Eu sei que ela já recebeu o prêmio, mas não poderia te deixar de fora querida amiga. Assim, aqui vai mais uma homenagem. Um blog doce como sua dona. Adoro!

- Manuel - "Folha Seca": Assuntos atuais. Este é um amigo consciente com os problemas de seu país, Portugal. Uma excelente visão crítica a respeito da situação atual. Textos ricos de análise dos problemas do momento. Um querido amigo que muito me honra com sua amizade.


Bem é isso. A todos os indicados estejam livres para aceitar ou não o prêmio, cumprir ou não as regras.
A todos que não foram mencionados, peço desculpas, tentarei ser melhor na próxima vez.
Um excelente final de semana para todos.
Um grande bj da
GISA.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

CONTIGO

Podes sorrir.
Sim,
É contigo mesmo.
Agora,
Lê devagar
Isso, assim,
Assim mesmo,
Bem devagar.
Ai, ai.
Adoro o calor
Dos teus olhos
Passando
Indo e voltando pelas
Curvas e espaços
Das minhas letras.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

DIVAGANDO

Gosto dos caminhos tortos.
As curvas, altos e baixos,
Sempre dão mais expectativa
Aos olhares.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

CONFIANÇA

Expulsei as nuvens de chuva
Que habitavam meus olhos.
Daqui para a frente,
Só quero ver o mundo
Através das cores dos arco-íris,
Que surgirão logo após.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

BRISA

Estou muda.
A expectativa me consome.
Vela lenta
Que tem a pretensão
De iluminar o breu!
Tenho medos e vontades,
Uns querendo sobreporem-se
Aos outros.
Confusões incertas
Delírios ofuscantes.
Fecho os olhos e vou.
Entrego-me ao acaso.
Jamais me perdoaria
De não pular no precipício
De braços abertos
Aproveitando a refrescante
Brisa do espaço infinito
Antes da colisão final.
Colisão final?

domingo, 28 de outubro de 2012

PREPARAÇÃO

O dia se avizinhava.
Ela tentava caçar as últimas estrelas
Do firmamento róseo
Com seus olhos de caleidoscópio.
Usaria-as mais tarde
Na comemoração
Da sua partida do comum
Para o ingresso no incomum
Cheio de estilo.

sábado, 27 de outubro de 2012

CONVITE

Hoje quero convidar todos vocês
para que conheçam um blog novo,
cheio de charme, de quatro meninas adolescentes
que estão com  muita vontade de integrar este maravilhoso
mundo que é a blogosfera.



Um beijo da
Gisa

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

FAZERES

Faço o que considero correto.
Faço o que considero justo.
Faço o que considero exequível.
Sigo meus desejos e vontades
Tudo,
Sem me importar com opiniões alheias,
Ou convenções sociais
Sou feliz.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

DESFORRA

Correu em frente
Sem olhar para trás.
A oportunidade não teria escapatória.
Dessa vez a encurralaria
No beco escuro
Devorando-a com o imenso prazer
Acumulado pelos anos
Em que levou sendo lograda
Pelas outras tantas que perseguiu
Sem alcançar.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

VONTADES

Quero o verso perfeito
Pronunciado por tua boca úmida
Do meu prazer.
Quero o passo perfeito
Da dança frenética
Das nossas pernas em laço.
Quero o suor perfeito
Escorrendo por nossos corpos
Secos de saudades mútuas.
Quero o final perfeito
Para nossos sorrisos bobos
Motivados pela psicodélicas sensações
Daqueles que se esperaram sem medo
Do inalcançável regresso.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

NOVELA

Ele espera.
Ela prepara.
Ele quer.
Ela deseja.
Ele sonha.
Ela concretiza.
Ele irá.
Ela acolherá.
Cenas do próximo
Capítulo.
Agora,
Os comerciais
Por favor.

sábado, 20 de outubro de 2012

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

FIM?

Com os fios brilhantes dos nossos olhares
Desbravamos o céu como bons alpinistas
Até o encontro na nossa estrela escolhida.
Como presente de compromisso
Ofereceste-me a lua envolta na fina seda
Dos nossos sentimentos mais loucos.
Aceitei de imediato.
Desembrulhei com cuidado.
Instalamo-nos na mais profunda cratera
E sumimos do mundo.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

DESISTÊNCIA

O teu poder sobre mim
Acabou me desfazendo em mil peças.
Ora obtusas, ora arredondadas,
Compatíveis, ou não, umas com as outras.
Dediquei-me horas a fio
Na vã tentativa de remontar a visão que tinha
Sobre mim mesma.
Desisti.
Vou aguardar que tenhas algum tempo,
Neste tão corrido dia,
Para que me reconstruas
Conforme preferires.
Nada mais me importa.
Cansei.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

RASTRO

Mantinha-o sob controle.
Alimentava e, algumas vezes,
Apagava,
Mas nunca o deixava morrer de fato.
Acostumara-se aos altos e baixos
De suas intempéries.
Gostava do jogo.
Agora aquilo!
De tantos freios e contrapesos
Ele se rebelou.
Começou a consumi-la sem pena.
Extinguia suas ideias,
Antes que virassem palavras.
Amarrava seus músculos,
Antes que virassem movimentos.
Incendiava seu corpo,
Antes que pudesse fugir.
Era refém de quem fizera prisioneiro.
Cansada deixou de se importar
Com o que pudessem falar ou pensar.
Vestiu-se de vermelho
E rumou para a labareda mais alta.
Dançou enquanto o fogo lhe lambia
Languidamente o que tentara ter sido
Por tanto tempo,
Sem qualquer êxito.
Assumiu a figura flamejante
Que sempre foi.
Agora livre,
Partiu sorrindo.
Deixou um rastro
De brasas e de cinzas atrás de si
Como um convite a quem quisesse
Encontrá-la.

sábado, 13 de outubro de 2012

DOIS ANOS


HÁ DOIS ANOS ATRÁS

ENTREI DE CORPO E ALMA NESTA AVENTURA!

NASCEU O "LER, ESCREVER E VIVER"

EM MEIO A MUITAS DÚVIDAS E NENHUMA CERTEZA.

AOS POUCOS FUI APRENDENDO, APERFEIÇOANDO E 

CAMINHANDO COM MAIS SEGURANÇA.

AINDA COMETO MUITOS ERROS,

MAS VOCÊS ME AJUDARAM A APRENDER COM ELES.

OBRIGADA A TODOS OS 647 AMIGOS 

QUE SE ARRISCARAM E SE ARRISCAM COMIGO

NESTA LOUCA VIAGEM

ATÉ HOJE!

ADORO VOCÊS!

E SINTO-ME MUITO HONRADA 

POR TODO CARINHO QUE DIARIAMENTE ME OFERECEM!

VAMOS SEGUIR JUNTOS PARA SEMPRE!

UM BEIJO NO CORAÇÃO DE TODOS!







sexta-feira, 12 de outubro de 2012

DESAFIO

Recebi da Fê – Só te peço 5 minutos este desafio.

Peço primeiro, desculpas a ela por ter demorando tando tempo em postá-lo mas queria fazer com calma e a vida cotidiana nem sempre nos dá esta condição.

Assim, antes tarde do que nunca!

Vamos a ele:

Perguntas:

1° - Algo que você não fala para ninguém:

Falo demais sempre, assim penso que não tenho nada que nunca falei a ninguém.

2° - Se você pudesse ouvir apenas uma música no próximo mês, qual seria?

Nossa! Sou eclética para músicas, acho que não conseguiria ouvir apenas uma um mês inteiro, assim, optaria pelo silêncio ele é múltiplo e posso fazer dele o que bem entender.

3° - Um sentimento que nunca sentiu?

Sou uma “bomba” de sentimentos, acho que já vivi de tudo um pouco ou de pouco um tudo.

4° - A pessoa mais importante para você? 

Uma pessoa é difícil, quem sabe um grupo? Não viveria sem minha família.

5° - Agora aonde você queria estar? 

Na lua. Sempre tive essa vontade. Quem sabe um dia...  :)

6° - Já deram um tapa na sua bunda, gostou?

Violência sempre é prejudicial. Nunca deram e se dessem não gostaria.

7° - Quem levaria para uma ilha deserta? 

Um escoteiro especialista em sobreviver em situações limites. Sou absurdamente atrapalhada para esse tipo de situação. Acho que sozinha morreria à mingua. Tudo bem, o escoteiro pode ser forte, bonito, atlético e sensual, também não ia atrapalhar... (útil se junta ao agradável) :)

8° - Quem você mandaria pro Iraque com uma camisa escrita "I love USA"? 

O Congresso Nacional Brasileiro.

9° - ? oxıɐq ɐɹd ɐçǝqɐɔ ǝp ɐpıʌ ɐns ɐ ɐxıǝp ǝnb O 

Falta de saúde.

10° - Se alguém lhe dissesse que você poderia realizar um sonho agora, qual seria?

Ver a felicidade das minhas filhas e suas realizações pessoais.

11° - Algo que gostaria de fazer, mas que não tem ou teve oportunidade? 

Dançar em um chafariz.

12° - Você não sai de casa sem o quê? 


Perfume.

13° - Já beijou ou beijaria alguém do mesmo sexo? 

Acho beijo muito bom. Sou uma beijoqueira incorrigível. Se surgisse oportunidade e vontade beijaria, por que não?

14° - O que estaria fazendo se não estivesse fazendo isto?

Um bolo, estou faminta e de regime... :(

15° - O que está pensando agora?

O céu está azul, a primavera chegando, tenho amigos, tenho pessoas que eu amo junto de mim, sou feliz.


A Fê pediu que eu indicasse outros participantes para a brincadeira, mas como adoro quebrar regras, não indico.

Fiquem à vontade para responderem se quiserem.

Será ótimo conhecer um pouco mais de todos vocês!

BEIJOS!
GISA

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

MATÉRIA-PRIMA

Senta, abre os olhos e presta atenção.
Hoje sou o teu foco principal.
Quero-te plenamente consciente.
Fecho a porta e as janelas.
Acendo as velas perfumadas do meu cheiro.
Vou te inebriar de mansinho.
Ouve!
Música suave e lacunosa,
No meio da qual lanço meus mais doces sussurros.
Movimento-me diante de ti,
Na certeza que me queres.
Tuas vontades incendeiam meus desejos.
Tiro a roupa pouco a pouco.
Nua, danço o ritmo de nossas respirações,
De nossas intenções mais mundanas e depravadas.
É com desespero que te vejo sucumbir
Derretido pelo calor do momento.
Tanto trabalho perdido em um único instante!
Dou de ombros e recomeço.
Tratarei de construir-te mais sólido dessa vez.
A cera, definitivamente, não é uma boa matéria-prima
Para fazer-te a imagem.
Tentarei agora a madeira.
Há de dar um melhor resultado.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

VERBOS

Desejo.
Quero.
Anseio.
Busco.
Encontro.
Sorrio.
Completo.
Uno.
Extasio.
Tranquilizo.
Aconchego.
Durmo.
Voo.
Volto.
Desejo.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

MARIONETE

Giro, ando ou danço
Movimentada pelos fios
Que saem do teu olhar.
Sigo tuas vontades,
Satisfaço teus desejos,
Manipulada por tuas hábeis mãos invisíveis.
Até quando serei tua marionete?
Até quando?

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

CUIDADOS

No mapa das nuvens
Intui teu rumo.
Voei sobre terras e mares
Conduzida por teu magnetismo.
Enfrentei sol forte e tempestades,
Deslizei no brilho frio da lua cheia,
Perdi-me no pipocar das estrelas,
Na certeza de estar cada vez mais próxima de ti.
Atordoada aportei na praia de areias claras.
Olhei em volta e não te vi.
A força da atração, no entanto,
Seguia potente e clara.
Olhei para baixo e percebi tuas mãos,
Olhei para cima e contemplei teus olhos.
Sorri e entreguei-me aos teus cuidados.
Já devia ter percebido que não me deixarias só
Em viagem tão longa.

sábado, 6 de outubro de 2012

SENSAÇÕES

A madrugada já ia alta.
A areia do sono
Já tomava conta do seus olhos.
Ela surgiu a sua frente
Com muita luz.
Imediatamente teve seu olhar fisgado
Pela imagem que lhe convidava a sorrir.
Deixou-se levar sem resistência
Aproveitando, ao máximo,
O prazer inesperado.
Afinal,
Ele nunca havia esquecido
O quão efêmeras
Podem ser as sensações.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

ERRO

Desenhou o ideal
E integrou-se rapidamente a ele.
Assumiu a posição mais acertada
Naquele universo já tão bem definido.
Deixou-se enquadrar na bela moldura
De meticulosos contornos dourados.
Foi exposta nas mais conceituadas galerias.
Buscava "o olhar".
Escolheu tempo demais.
A tela ficou rota
E a moldura opaca.
Chorou em ver-se catalogada
E guardada no depósito do acervo.
Suspirou baixinho
Tentando entender
Onde foi que errou.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

terça-feira, 2 de outubro de 2012

FRITURA

Óleo fervente.
Rolo na frigideira em todas as direções.
Tosto no ponto desejado.
Morena por fora e suculenta por dentro.
Tempero na medida certa.
Sirvo-me muito quente na travessa.
Pena que o teu colesterol esteja tão alto!
Pensa bem,
As saladas verdes também devem ter seus encantos...

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

NORMALIDADE

Nua, montou no dorso de Pégaso e voou para o limite, até então, desconhecido. Coloriu-se ao cruzar a barreira da luz e musicou-se ao romper a do som. Adentrou na antiga terra como uma Godiva pós-moderna. Capturou as atenções enquanto planava no céu esmeralda do amanhecer. Com os olhos cravejados em seu corpo ia reconhecendo um a um através das energias magnéticas que emanavam. Estava de volta para retornar em breve, todos sabiam e não se arriscavam a pensar. Pousou no alto das escadas voluntariosas do arcaico templo. Subiu os degraus que desciam e desceu os que subiam até atingir o topo da base. Acolheu com desprezo carinhoso as más-vindas ofertadas na bandeja de prata fosca. Bebeu na taça de lata a água de cristalinidade barrenta e turva. Vomitou os vermes sensíveis ao sol e desfez-se em fumaça rosa pálido.
A vida seguiu seu curso, sem refletir sobre o ocorrido,
Tanto lá como cá.

sábado, 29 de setembro de 2012

OBJETIVOS

Dançou,
Em movimentos descendentes,
Os últimos acordes agudos do pânico.
Enterrou-os na lama escura
Do poço sem fim.
Subiu leve
E planou a um palmo do solo
Sendo aquecida pela energia
Que emana dos olhos
Daqueles que voam um pouco mais acima.
Ainda chegaria lá,
Era só uma questão de tempo.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ORNAMENTO

Sugo da imagem
Contida na antiga fotografia
Tudo que ela me permite apreender.
Com o resultado construo um mosaico.
Peça a peça cuidadosamente arranjada.
Desenhos complexos.
Beleza plástica inconfundível.
Olho a obra e consigo reconhecer-te
Sorrindo em cada contorno.
Em um ímpeto de saudade e carência,
Desintegro-me.
Em forma de pó colorido
Começo a preencher os espaços simétricos
Existentes nos pequenos vãos.
Anseio recuperar nossa completude
Ainda que seja apenas ornamental,
Apenas para agradar aos olhos daqueles
Que circulam distraidamente pelo ambiente.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

PRONTA?

Crise de abstinência.
Provoco ao máximo.
Testo a tolerância.
Confiro sensações.
Anoto posturas.
Tudo diagramado,
Libero as correntes
E recebo o impacto
Do que mais temia.
A frase : "E agora?"
Baila no ar debochando
Do meu olhar perdido.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

TOUCHÉ!

Sempre dançando,
Envolveu-o com os sete véus retirados,
Um após outro.
Certificou-se da imobilização
Meticulosamente realizada e sorriu.
"Fuga impossível!" - gritou,
Retirando-o do transe provocado
Pelas ondulações do corpo durante a música.
Chegou perto, bem perto, dos seus olhos espantados
E o beijou.
Este seria o último ato terno
Que se propusera fazer.
Saboreou sua aflição.
Iniciaria o dolorido ritual
No momento em que bem entendesse.
Só restava a ele,
Esperar.

domingo, 23 de setembro de 2012

RECADO

Disseste-me esquecida,
Não sou.
Lembro cada detalhe
Daquilo que és, daquilo que sou e daquilo que somos.
Vejo-te amanhecer e entardecer
Em silêncio,
Pois a beleza está oras na claridade no sol
E oras na névoa da lua.
Digamos que ando na ...
Lua nova
A te espreitar.
Quando menos esperar,
Ataco!
Espera...

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

CÍRCULO

Enfeitiço quem detesto.
Detesto quem amo.
Amo quem desprezo.
Desprezo quem enfeitiço.
Emudeço.
Maldito
Círculo concêntrico
Da fatalidade.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

LOUCURA

Sou louca por mim.
Sou louca por ti.
Sou louca por nós.
Sou louca pelos outros.
Outros?
Bem,
Isso,
É uma outra história...

domingo, 16 de setembro de 2012

CONCLUSÃO

Lembrei só para dizer que esqueci.
Pronto!
Agora estou livre da carga.
Vou sem olhar para trás.

sábado, 15 de setembro de 2012

PAZ

Tudo se ilumina.
O branco concorda
Em liberar todas as cores
Nele aprisionadas.
O som se organiza
E permite
Que a sinfonia surja.
O calor dá as mãos ao frio
Tornando a temperatura
Agradavelmente morna.
O vento vira brisa,
Fresca e animadora.
Ela sorri ao ver a felicidade
Entrar no recinto.
Tudo se harmoniza,
Finalmente.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

SEM ALTERNATIVAS

Egoísta
Autoritário
Convencido
Intolerável
Enlouquecedor
Fazer o quê?
É meu.
Não tenho como
Arrancar fora.
Maldito coração!

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

VASO

No vidro embaçado,
Via a galeria de rostos se apresentar.
Cada um portava uma lembrança
Que recebia de imediato
E guardava no pequeno vaso de flores
Embaixo da janela.
Visões queridas e malditas
Desfilavam sem ordem,
Sempre trazendo uma emoção peculiar.
Após o último da lista,
Limpou a vidraça.
Regou com cuidado o receptáculo utilizado no ritual
Colocando-o no sol da tarde,
Sendo banhado pelos brilhos brancos da lua plena,
Durante toda a noite.
Aos primeiros claros da manhã,
Levantou-se rápido para conferir o resultado.
Feliz, verificou as flores coloridas que perfumavam todo ambiente,
Emitindo as energias recondicionadas
Das recordações puras.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

CARRASCO

Hoje,
Quando menos se esperar,
Será ontem.
Vestido à força com os véus
Rotos do passado,
Suspirará a saudade do calor
Do tempo presente,
Figura sombria,
Onipotente senhor insaciável de horas,
Carrasco determinado
Dos sonhos limitados dos dias.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

DISSIMULADA

Fiz que não vi.
O sorriso interior da molecagem
Aqueceu minhas vaidades.
Passei reto.
Meu ego debruçou-se para trás.
Não queria perder uma única reação.
Senti o calor me queimar
Quando o vento me trouxe o cheiro
Do teu corpo,
Tão próximo.
Foi com desdém premeditado,
Que te olhei, te encantei e te prendi para sempre.
Fiz acreditares que a conquista foi tua.
Jamais saberás o quanto ansiei e planejei este momento.
Venci!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

DÚVIDAS 4

Seguindo a trilha que surgia sob seus pés,
Ela avistou a bela porta, alta e torneada.
Lembrou-se da chave,
Cada vez mais aquecida,
Que trazia junto ao peito,
Apertando-a entre as mãos.
À medida que andava,
Diminuía de tamanho,
Assim como a porta a sua frente.
Ao chegar diante de seu objetivo tão buscado,
Percebeu, com surpresa,
Que este estava contido em algo maior,
Parecia um corpo sentado no chão
Com um olhar atônito.
Não deu importância,
Queria experimentar a chave.
Testou-a na fechadura.
Abriu.
Entrou sem pedir licença
Mal percebendo que esta
Se fechara para sempre
Atrás dela.
Ele acordou e não encontrou mais a porta.
Deveria ter sido um sonho, pensou.
Ergueu-se e partiu com um calor
Doce e acolhedor dentro do peito.
Não sabia porque,
Mas desde este dia
Nunca mais se sentiria só.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

DÚVIDAS 3

Amanheceu diferente.
Ela observava,
Com atenção,
O curioso caminho
Que se formava sob seus pés
À medida que andava.
A cada passo percebia
A intrigante chave,
Que levava sempre no pescoço,
Aquecer.
Ele, ao contrário, não conseguia se mover.
A porta, desenhada no vazio,
Parecia exercer uma atração incomum sobre seu corpo.
Toda vez que tentava se afastar
Retornava ao ponto de partida junto à soleira,
Que de um momento para o outro,
Começou a brilhar.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

DÚVIDAS 2

Aquela porta o intrigava.
Havia um tempo que a havia desenhado
No espaço em branco.
Era alta, bela e torneada.
Aonde levaria afinal?
Já tentara abri-la de todos os modos.
Nada.
Onde estaria a chave?
Agora estava muito tarde,
Melhor dormir.
Amanhã seguiria na busca.

domingo, 2 de setembro de 2012

DÚVIDAS

Desenhou no espaço em branco.
Uma chave torneada.
Não sabia ao certo
Para que serviria.
Pegou-a com
Diversas dúvidas
Que tentavam
demovê-la da ideia.
Pendurou no pescoço
Na fina corrente que
Sempre trazia junto ao peito
E seguiu.
Um dia saberia porque teria agido assim.
Um dia...

sábado, 1 de setembro de 2012

FATO

Unhas, vermelhas.
Boca, vermelha.
Saltos altos, vermelhos.
Vestido, vermelho.
Lingerie, vermelha.
Bolsa, vermelha.
Peito vermelho, aberto.
Sangue vermelho, escorrendo.
Coração cinza,
Parado.
Vulto negro,
Fugindo.
Luz branca,
Partindo.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

SUSTO

Mais rápido do que o comum,
O céu foi tomado por nuvens vermelhas.
Na mesma pressa, a chuva azul,
Com seus raios verdes e roxos,
Começou a colorir a paisagem.
Procurou esconder-se imediatamente.
O vento lilás já começava a ser visto no horizonte.
Em instantes ela chegaria,
Carregada pelo tufão amarelo
Só para o encontrar.
Adorava surpreendê-la.
Ela ficava, realmente, irresistível
No seu ar de espanto rosado!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

600!

Hoje pensei em algo diferente, afinal este é o meu post de n. 600 em quase dois anos de blog. Quero falar de mim, sem metáforas ou poesias. Sou uma pessoa que adora escrever, bom isso parece óbvio!
Escrevo todos os dias, um pouco antes de publicar. Gostaria de ser uma pessoa mais organizada, sei lá, manter um arquivo, planejar os posts, ler e reler... Mas não. Sou impulsiva, gosto de tudo imediato e saia assim ou saia assado, acabo gostando e já foi! Publiquei.
É com uma certa ansiedade que aguardo o resultado: os comentários! Adoro tudo o que me dizem, adoro o carinho que expressam, adoro os diálogos que minhas palavras travam com as de vocês! Adoro muito tudo isso e sobretudo a todos os queridos amigos que conquistei e que me conquistaram neste período.
Quando iniciei o blog não tinha muita noção do mundo que se surgiria na tela do computador. Um universo de amizades verdadeiras, incentivos mútuos, muito respeito e carinho.
Adoro percorrer seus blogs também. Gosto desta troca de ideias e de energias e sempre saio feliz com que encontro.
Bem meus queridos acho que já me estendi demais. Vou indo, deixando um enorme beijo no coração de cada um de vocês e um MUITO OBRIGADA por todo este apoio e amizade.
Mais beijos!
GISA

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

BRINCADEIRINHA

Podes?
Tens que poder.
Queres?
Tens que querer.
Voas?
Tens que voar.
Então vem,
Vem me alcançar.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

VOLTA

Meus pensamentos
Foram com a chuva.
Evaporaram com o sol.
E, em forma de nuvens,
Voaram com os ventos
Até te encontrarem.
Desaguaram em forma
De gotas cintilantes
Sobre os teus cabelos,
Descendo em um longo beijo
Por teus olhos,
Aquecendo as lembranças,
Ainda vivas de mim,
No teu corpo distante.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

SETE

Possuo um segredo
Guardado a sete chaves.
Coberto por sete véus
Das sete cores do arco-íris
Não é um bicho de sete cabeças,
Mas envolve alguns dos sete pecados
E algumas das sete virtudes humanas..
Ao som das sete notas musicais,
Soadas pelas sete trombetas do Apocalipse,
Posso levar você aos sete portões do inferno,
Nos sete anos dos espelhos quebrados, ou
Podemos voar sete léguas
Pelos sete céus estendidos ao longo
Dos sete mares,
Nunca dantes navegados,
Somente para visitar
Os sete planetas sagrados.
O prazo de escolha são os sete dias da semana.
Decida-se.
Antes de tudo porém,
Devo perguntar o principal:
Você tem sete vidas?

domingo, 26 de agosto de 2012

FIM

Sinto.
Quebrou.
O elo de cristal,
Indestrutível,
Não suportou
O peso do tempo,
Das culpas,
Das mágoas...
Desfez-se em milhões
De cacos sem brilho,
Libertando o sonho.
Este, leve,
Foi embora sem olhar para trás,
Encantado com as novas luzes
Que vislumbrava no horizonte.

sábado, 25 de agosto de 2012

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

RECOMPENSA

Cansada da neve, ergueu-se.
Com o corpo em chamas
E os olhos de um verde profundo,
Cruzou as alamedas de pinheiros
Cobertos do gelo branco
Devolvendo-lhes a vitalidade
Dos tons originais.
Percorreu os campos
Animando as flores a surgir,
Curiosas, pelo agradável calor.
Abraçou-se ao vento
Esquentando a atmosfera.
Incentivo necessário para que os seres viventes
Saíssem de suas tocas
E espreguiçassem-se para o novo começo.
Dando a missão por encerrada,
Subiu ao sol.
Sua tarefa havia sido executada com sucesso,
Agora queria sua recompensa.
O astro logo compreendeu.
Envolvendo-a por completo
Em um ardente beijo
E tórridas carícias
Apoderou-se dela com toda intensidade.
Era dado início a mais um
Estimulante e excitante,
Amor de verão.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

NORMALIDADE

De essência volátil,
Fugia da concretude do corpo
Para o mundo paralelo.
Surgia onde e para quem desejasse.
Desaparecia ao sabor das mudanças abruptas
Das ideias fúteis.
Levava encantamento e beleza
Para telas sem vida.
Ofertava magia aos olhos incrédulos.
Divertia-se com o negativo e positivo
Das imagens opostas
Confundindo quem a tentava perseguir.
Perdia-se nas cores do calidoscópio do tempo,
Para voltar renovada em brilho furta-cor.
Ao fim do devaneio,
Regressava ao reduto abandonado.
Vestia a pele opaca e sem graça
E submetia-se a mais um dia
Da ritualística da vida insossa
Dos que se diziam
Normais.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

MONUMENTO

Chamou-lhe atenção
As esculturas encravadas na pedra.
Homens, mulheres,
Eram tão fortes.
Resolveu perder parte do seu
Escasso tempo para observá-las.
Os contornos, as expressões, a grandeza.
Tudo a comovia.
Aproximou-se pouco a pouco.
Deslizou seus dedos pela asperezas dos rostos.
Encostou seu corpo nos corpos frios, inanimados.
Quedou-se inerte pelo magnetismo encontrado.
Sem se importar,
Sentiu perder as articulações
Enquanto era envolvida pelo mineral rapidamente.
Agregada à obra entendia
Que havia encontrado, finalmente, sua razão de viver.
A partir daquele momento
Teria a tarefa de apenas
Encantar o mundo, sem que necessitasse
Nada mais em troca.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

POMAR

Corriam entre pés de laranjas e limões.
Procuravam unir suas imagens infantis,
Dispersas no cítrico ambiente,
Às figuras, falsamente sisudas,
Da maioridade.
Iam de mãos unidas,
Livres que qualquer regra,
Que não fosse contemplada
No único objetivo:
Ser muito, mas muito
Feliz.

domingo, 19 de agosto de 2012

CASAL

Debrucei-me sobre o mapa
Para determinar com exatidão
A longitude ideal
Das nossas linhas do horizonte,
Sendo para mim, a leste
E para ti, a oeste.
Encontrei o caminho perfeito
Anotei os graus e te enviei
Através do vento,
Que, gentilmente,
Ofereceu-se como portador.
Anotei também o dia e a hora
Para a façanha.
Aguardei o momento com ansiedade.
Na data determinada
Escolhi o vestido de nuvens rosa,
Colhido no pôr do sol.
Decidi pelo perfume de sonhos
E fui-me esperançosa.
Pisei firme no fio do horizonte acordado.
Andava sorrindo, leve e feliz.
Quase cai quando te avistei vindo.
Meus passos ficaram mais rápidos
E meu coração mais brando.
O brilho dos olhos nos atraíam com segurança
E em pouco tempo estávamos em um longo abraço,
Unidos e confiantes.
De mãos dadas seguimos o percurso
Sob a aprovação do céu, do sol e da lua
Que sorriam e abençoavam o surgimento
Do novo casal.

sábado, 18 de agosto de 2012

PREVENIDA

Gosto de mimos.
Quando os recebo
Uso um pouco
E guardo o restante.
Nunca se sabe
Quando irá
Se precisar...

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

REPRESENTAÇÃO

Hoje quero ser simples.
Falar sem dizer.
Ouvir o silêncio.
Ver os contornos do nada.
Apalpar o invisível.
Beijar a ideia.
Deitar e gemer de prazer
Com o holograma
Que criei para te representar.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

CONFORTO

No movimento das ruas
Buscava incessantemente.
Ora encontrava os olhos,
A boca, o andar.
Ora visualizava os cabelos,
O sorriso, o porte.
Nunca conjugados em uma mesma visão,
Mas, naquele momento,
Já lhe era suficiente.
Voltou para casa com a confortável certeza de que,
Apesar da abrupta partida,
Não o teria perdido para sempre.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

VIVER

Dançava o som dos sorrisos.
Cantava a música dos olhares.
Andava o brilho das energias.
Rodopiava o prazer dos corpos.
Vivia a beleza dos instantes
Que passam
Para nunca mais regressar.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

TESOURO

Altas paredes a cercavam.
Passava horas imaginando
O que haveria do lado de fora.
Um dia,
Deitou-se no chão
E sem sono,
Olhou para cima.
Fixou o olhar nas múltiplas estrelas.
Percebeu, com encanto,
Que se transformavam pequenos espelhos.
Toda noite passou a ter uma nova distração.
Identificava o mar, pássaros, rochas.
Vibrou ao encontrar a porta
Que havia sido cerrada
Há tanto tempo.
Estudou bem a localização.
Na luz do dia seguinte,
Esmerou-se em tentar reconstruí-la
Do se lado interno das paredes.
De posse de um giz colorido,
Desenhou-a com capricho
No seu exato lugar.
Reuniu todas as expectativas
Daqueles que passam anos no cárcere
E entre lágrimas de alívio
Abriu a porta.
Foi-se sem fechá-la.
Não resistiria olhar para trás
E ver tudo que havia deixado.
Agora tinha que se concentrar no tempo novo,
Em novos caminhos.
Já havia dedicado muito de si
Às antigas lembranças.
Elas entenderiam sua atitude,
Assim esperava...

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

PAIXÃO

Tinha curiosidades.
Decidiu vencer o medo.
Fechou os olhos
Entregando-se ao fogo
Ao qual ele lhe convidara.
Queimou, ardeu, gemeu.
Viveu o mais intenso que pode
O desconhecido devaneio.
Acordou dilacerada,
Um ar de cansaço,
Dores no corpo...
Banhou-se com esmero,
Vestiu-se com recato,
Saiu.
No peito levava a chama viva,
Incendiando-lhe as entranhas.
Cumpriria a rotina rapidamente.
Ansiava por retornar ao leito
Para dormir novamente.
Era claro.
Havia se apaixonado perdidamente
Pelo garboso
Pesadelo.

domingo, 12 de agosto de 2012

PARTE UM

Em meio as chamas surgiu.
Vinha de negro, sorrindo.
Seus olhos faiscavam
As últimas labaredas
Da primeira parte do sonho
Que prometia continuação.

sábado, 11 de agosto de 2012

AMIGAS

Queria conversar.
De um salto, apanhou a lua.
Aconchegou-a em seu regaço,
Para que ficasse confortável,
E iniciou a ladainha.
Contou-lhe dela e dele.
As inquietudes, os segredos, as bizarrices.
Encheu-lhe os ouvidos
Com todas belezas e mazelas
Que lhe vinham de pronto na alma.
Fofocaram como íntimas que eram,
Amigas devotadas.
Quase ao amanhecer,
A luminosa visita esclareceu-lhe
Que era chegada
A hora de partir.
Compreendeu.
De um salto, devolveu-a
Ao seu lugar de direito.
Sorriram-se e acenaram-se
Na promessa de uma nova visita
Na próxima noite.


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

BLEFE

Sou um blefe.
Embora da mesma cor,
Meus olhos são de botão
De tamanho e formato diferentes.
Meus cabelos, de lã desbotada.
Minha boca, bordada com cordão,
Tingido de vermelho.
O corpo foi feito de algodão encardido
De péssima qualidade.
O vestido, de chita ordinária.
Apostei todas as fichas.
Não pagaste para ver.
Ganhei.
Que pena...
Jamais saberás a verdade,
Ou não?

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

FACE

Roubastes minha face
Devolve!
Meus olhos choram por mim
Eu sei.
Minha boca clama meu retorno.
Posso ouvir.
Meu nariz quer de volta meu cheiro.
Não me enganes.
Roubastes minha face
Devolve!
Só assim poderei sorrir para ti
Novamente.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

PRECISA-SE

Precisa-se
Boca cálida, na temperatura exata para aquecer e arrepiar, alternada e sucessivamente.
Língua atrevida, que conheça todos os caminhos conhecidos e aqueles a serem descobertos com vagar, muito vagar.
Dentes firmes, que saibam morder, mordiscar, roçar e qualquer outro verbo compatível com a função de deleitar.
Mãos curiosas, prontas a deslizar em todos os sentidos e meandros, atentas às expressões que pretende despertar.
Braços envolventes, tipo polvo, daqueles que não permitem qualquer tipo de fuga tampouco qualquer pensamento neste sentido, nem mesmo de longe.
Pernas que prendem, torcem, contorcem, subam e desçam impedindo ou possibilitando novos e antigos movimentos.
Corpo que aconchegue e torne-se macio para acarinhar ou forte para desafiar.
Precisa-se, quer-se, deseja-se, anseia-se que se você preenche todos os requisitos acima enumerados entre na tela logo, neste exato momento mesmo.
Nã me faça esperar nem mais um instante. Vem agora. Não irás te arrepender. Como? Ah, isso eu te garanto!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

INSATISFEITA

O deslizar dos dedos pelos cabelos
A arrepiava.
Sentia o calor,
Revivia o toque.
Acreditava até
Poder detê-los.
Ansiava por beijar
Um a um
Só para provar
O gosto
Antes de consumi-los
Com o prazer
De finas iguarias.
A espera é que a atormentava.
Será que um dia se livraria
De tão submissa posição?
Odiava a prisão da moldura
Jamais se conformara
Com a sua fria posição
De uma simples
Imagem refletida
Naquele frio
Espelho.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

PROMESSA

Sonhei contigo.
Só hoje.
Estavas lindo.
Estavas necessário.
Estavas próximo.
Não,
Não te zangues.
Sonhei contigo.
Só hoje.
Nunca mais irá se repetir.
Prometo.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

SOMBRINHA (reedição)


Traço uma linha reta a partir da minha janela.
Pego a sombrinha colorida e experimento com o pé.
Firme.
Equilibro-me e entrego-me ao vento.
O percurso é longo, mas a sensação de segurança que dá a sombrinha... é sem igual!
Até que demorou bastante tempo antes do meu corpo encontrar o chão de concreto da avenida...
Ah! E ainda levei, como lembrança,
Uma linda paisagem em movimento.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

CÔNCAVO (reedição)

                  Entrou
                 Sem
                Pressa
               Nem
              Pudor           
            Despiu-se    
           Das         
         Roupas        
        E da       
      Alma     
     Mirou-se no    
   Espelho   
  Côncavo  
A sua
 Frente 
  Percebeu  
   Com um   
   Arrepio    
    Todo o     
     Prazer      
      Que se lhe       
       Oferecia        
        Naquela          
         Estranha           
          Imagem            
           Invertida             
            De si mesma
             Entregou-se
              Com vagar
               Ao mais
                Inusitado
                 69...