quarta-feira, 5 de setembro de 2012

DÚVIDAS 4

Seguindo a trilha que surgia sob seus pés,
Ela avistou a bela porta, alta e torneada.
Lembrou-se da chave,
Cada vez mais aquecida,
Que trazia junto ao peito,
Apertando-a entre as mãos.
À medida que andava,
Diminuía de tamanho,
Assim como a porta a sua frente.
Ao chegar diante de seu objetivo tão buscado,
Percebeu, com surpresa,
Que este estava contido em algo maior,
Parecia um corpo sentado no chão
Com um olhar atônito.
Não deu importância,
Queria experimentar a chave.
Testou-a na fechadura.
Abriu.
Entrou sem pedir licença
Mal percebendo que esta
Se fechara para sempre
Atrás dela.
Ele acordou e não encontrou mais a porta.
Deveria ter sido um sonho, pensou.
Ergueu-se e partiu com um calor
Doce e acolhedor dentro do peito.
Não sabia porque,
Mas desde este dia
Nunca mais se sentiria só.

5 comentários:

ANTONIO CAMPILLO disse...

Bien, el paso para cruzar la puerta está dado con éxito.
Muchos temor, miedo y expectación, por saber qué pasaría pero se ha podido entrar con éxito. Sigue siendo un misterio cómo se comportará un interior, que puede estar bien decorado o no, guardado por esta alta y perfecta puerta con llave torneada.
Esperemos que en la sala, detrás de la puerta, se encuentre siempre la felicidad.
Espero que se escriban nuevos capítulos sobre el devenir de lo realizado en la sala.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Flor de Jasmim disse...

O momento certo para expermentar a chave!
Que a solidão não volte em sonho ou não.
Belissimo Gisa

Beijinho e uma flor

ricardo alves disse...

bela série de posts esta!
me lembra alice in wonderland!

Rafael Castellar das Neves disse...

Oi Gisa!

Este texto me fez lembrar muitas outras coisas e a pensar muitas outras...e vc fechou muito bem!

[]s

Andradarte disse...

Que os bons sonhos nunca se esgotem...
Bonita a descrição da solidão..
Beijo