segunda-feira, 20 de agosto de 2012

POMAR

Corriam entre pés de laranjas e limões.
Procuravam unir suas imagens infantis,
Dispersas no cítrico ambiente,
Às figuras, falsamente sisudas,
Da maioridade.
Iam de mãos unidas,
Livres que qualquer regra,
Que não fosse contemplada
No único objetivo:
Ser muito, mas muito
Feliz.

6 comentários:

La sonrisa de Hiperión disse...

Siempre estupendas las cosas que nos has dejado. Un placer siempre.

Saludos y un abrazo.

ANTONIO CAMPILLO disse...

Corretear entre los naranjos y limoneros cogidos de la mano siempre es placentero.
Su olor, el roce con las hojas, sus contrastes de colores, amarillo, verde, rojo pálido, producen en quienes aman la naturaleza una paz especial.
En este espacio sin reglas, sentados bajo la protección de la fresca sombra, quitando la corteza de una naranja con las manos y saboreando sus aceites mezclados con la dulce pulpa, se oye, se siente, se vive, la felicidad.
Excelente huertana, Gisa.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.






Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, este poema trouxe-me a lembrança dos belos dias juvenis. Um abraço. Tenhas uma linda semana.

Flor de Jasmim disse...

Sempre bom de te ler Gisa.

Beijinho e uma flor

Cristiano Marcell disse...

Schopenhauer dizia que a felicidade é uma quimera. Ele que vá para o inferno então, pois o que queremos é ser felizes em nossa totalidade!

Belo poema, minha cara! Muita paz!

Caroline Godtbil disse...

Esse deveria ser o único objetivo...
Beijo.