sábado, 11 de agosto de 2012

AMIGAS

Queria conversar.
De um salto, apanhou a lua.
Aconchegou-a em seu regaço,
Para que ficasse confortável,
E iniciou a ladainha.
Contou-lhe dela e dele.
As inquietudes, os segredos, as bizarrices.
Encheu-lhe os ouvidos
Com todas belezas e mazelas
Que lhe vinham de pronto na alma.
Fofocaram como íntimas que eram,
Amigas devotadas.
Quase ao amanhecer,
A luminosa visita esclareceu-lhe
Que era chegada
A hora de partir.
Compreendeu.
De um salto, devolveu-a
Ao seu lugar de direito.
Sorriram-se e acenaram-se
Na promessa de uma nova visita
Na próxima noite.


11 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Muito bom, amiga! Isto prova que ninguém no mundo está só. Quando faltar a companhia das pessoas, haverá a lua, as estrelas...
Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

ANTONIO CAMPILLO disse...

Hablar acurrucado en el regazo de la Luna debe provocar tal serenidad que las confidencias deben ser más cálidas, más sinceras.
Personalmente, me gustaría poder mecerme semirrecostado cuando su forma nos engaña con "creciente" porque miraría al este.
Y, supongo, que sus brazos no son fríos. Su aparente frialdad se debe a esa intensa luz azul a la que cambia tras un aúrea rojiza que invita a charlar.
Excelente imaginación y poema.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Gisa. Legal encontrar amigas, conversar, falar de problemas, alegrias, dores, felicidades e tristezas,
Quem sabe haverá uma esperança nesse futuro tão incerto?
O importante é que houve entre elas cumplicidade!
Beijos na alma e fique na paz!

Cris Campos disse...

Há companhias que não têm preço! Estar por aqui na sua, é uma delas amiga! Gr. Bj.!

Rogério Pereira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rogério Pereira disse...

AMIGOS

Quando me levantei
Meu amigo já lá estava
Só agora?
Disse-me o Sol
Como quem cumprimenta
Tenho sono pesado
Disse apressado
para entrar em assunto mais brilhante
e bem pensante
E foi nesses assuntos
que ficámos, até ele se ir,
partir
naquele céu avermelhado
Amanhã chego cedo
Eu não, gosto mais de meus lençóis
do que de mil sóis
Ele, sem atender à provocação, sorriu de soslaio
habituado às minhas irónicas despedidas, lançou-me seu último raio

Elias Akhenaton disse...

Maravilhoso amiga, parabéns pela inspiração. Aproveito para desejar-lhe um magnífico domingo pleno de paz e amor.

Beijo!

Arnoldo Pimentel disse...

Amigas para sempre.Lindo poema.Beijo.

Caroline Godtbil disse...

Amiga Lua... amiga de fases, mas sempre presente.
Beijo.

CHIICO MIGUEL disse...

Amiga Gisa, o sol nasce para todos, a lua também, a vida de cada um, o animo, a luz e a sabedoria de viver com a tranquilidade de que tudo acontecerá da melhor forma, conforme Deus permitir. E ele permite que esjamos felizes.
Boa Noite, abraços e beijos
chico miguel

Tais Luso disse...

Amizade é cumplicidade, é maravilhoso quando encontramos amigas com tanta sintonia!

grande beijo.