sexta-feira, 10 de agosto de 2012

BLEFE

Sou um blefe.
Embora da mesma cor,
Meus olhos são de botão
De tamanho e formato diferentes.
Meus cabelos, de lã desbotada.
Minha boca, bordada com cordão,
Tingido de vermelho.
O corpo foi feito de algodão encardido
De péssima qualidade.
O vestido, de chita ordinária.
Apostei todas as fichas.
Não pagaste para ver.
Ganhei.
Que pena...
Jamais saberás a verdade,
Ou não?

10 comentários:

Malu disse...

Os nossos sentimentos às vezes são tão íntimos que para protegê-los resta-nos apenas blefar.
Lindo poema.
Abraços

CHIICO MIGUEL disse...

Concordo com o lindo poema, aliás muito criativo. Basta lembrar os versos de Fernando Pessoa para ver
o que significa o "blefe" do poeta:
"O poeta é um fingidor,
finge tão completamente,
que chega a sentir que é dor
a dor que deveras sente."
Minha boa amiga Gisa, muitas mil felicidades e boa sorte em tudo.
Beijos.
FMM

Caroline Godtbil disse...

Às vezes "perder" é tudo que queremos...
Beijo.

Flor de Jasmim disse...

Blefar por vezes é necessário ou obrigam a tal!
Bom fim de semana Gisa

beijinho e uma flor

Álvaro Lins disse...

Às vezes é bom perder:)!
Bjo

Rogério Pereira disse...

Gosto de coisas directas
Nem de blefes
Nem de tretas
Ah, sempre gostei
de brinquedos baratos
Matrafonas
Bonecas de trapos
E nunca, nunca joguei
Se ganhaste
foi a quem?

*Escritora de Artes* disse...

Quem ganhou ou perdeu nao sei, só sei que esse texto é um arraso!

Aplaudo!

Bjos querida amiga

ANTONIO CAMPILLO disse...

¡Pobre muñeca! Creo que no eres tan fea.
Si tu tela es de mala calidad, será por el tiempo que tienes.
Si tus ojos son de diferente tamaño, será porque son más atractivos.
Si no utilizan contigo lápiz de labios, será para no mancharte con carmín innecesario.
Si te han ganado en una tómbola sin apostar a todas las fichas, será porque posees suerte y con pocas has sido elegida.
Creo que eres bella y desde este momento en el que has sido un premio tu suerte cambiará.
Excelente imaginación y poema.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Luciano Craveiro disse...

Muito metafórico o teu poema do "bluff"

Beijinhos mil. :))

ricardo alves disse...

maravilhosa idéia e muito melhor o desenvolvimento dela...