quarta-feira, 1 de agosto de 2012

BAILARINA (reedição)

Linda redoma bailarina! Como ficas bela com esta luz... Teus cabelos ficam mais sedosos, tua pele parece uma porcelana, tuas roupas brilham com a purpurina que tinge o ambiente. Mas o que há de errado bailarina? A música da caixinha não te agrada? Ela foi feita para dançares, encomendada para o teu deleite. Não sabes, bailarina, o quanto me custa todo este teu conforto. Vivo pagando contas que não acabam sempre para te ver cada vez mais feliz. Por que choras, bailarina? O que te faz falta, meu bem? Por que me olhas assim, bailarina? Não te compreendo... Tens tudo que queres para ser feliz e por que não és? Não bailarina, não sejas ingrata minha querida, não faças isso bailarina! Coloca o braço no lugar, como vais mostrar  gestos, tão graciosos, sem braços? Alto lá, bailarina, não tires tuas pernas, como irás saltar de novo? Pára, bailarina como vais rasgar teu peito e liberar teu coração que levou tanto tempo e me deu tanto trabalho para  aprisionar aí?!

5 comentários:

ANTONIO CAMPILLO disse...

A pesar de tener una meta muy deseada, hacer feliz a los demás, puede ser que ella, la bailarina, no sepa qué es la felicidad.
No se debe a su poco y bien remunerado trabajo, ni a la magnífica caja en la que duerme sueños de terciopelo, su poca felicidad se debe a su inanimación.
Querría ser una bailarina del teatro, alta, bella, elástica.
Tu prosa, Gisa, es tan espléndida como tu poesía y tu imaginación portentosa.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Natália Campos disse...

Xi! A bailarina "dançou"!

CHIICO MIGUEL disse...

É um dos seus textos em prosa que muito me emocionou. Por quê? Primeiro, eu adora a dança, qualquer tipo (embora não saiba dançar). Creio que foi o primeiro tipo de arte que surgiu no gênero humano. Olhar, apreciar, uma dança clássica me toma todo o meu ser em emoção, observação e desejo de ser um daqueles (se e é um par), ou de ser ela, a bailarina, se é uma só.
Meus parabéns pelo texto, minha Gisa,você é gloriosa. Imagina alto e realiza na terra, para fazer o que faz: poesia, em prosa ou em verso: beleza quer fale de coisaa nao tão agradáveis, quer fale de coisas doces, elevadas, clássicas como a bailarina.
Palmas para você e seu texto.
Beijos
chico miguel de moura

Daniel Casares Román disse...

que gusto pasarme por tu blog y que se me pasen los minutos y las horas...

Un beso Gisa!

OceanoAzul.Sonhos disse...

As tuas grandiosas palavras absorvem-nos...

abraços
cvb