quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

PURO

Subiu ao céu e se desfez em chuva.
Caiu em pingos tão leves
Que o fez parar de chorar.
Gostou ao vê-lo ali,
Estático,
De rosto erguido
Aproveitando cada gota sua
Rolando por todo 
Aquele corpo
Que gostava de lhe pertencer.

6 comentários:

Kamila Mendes disse...

Nossa, poucas palavras, mas com uma profundidade sem igual...lindo texto parabéns!

http://pingentesdeilusao.blogspot.com

Rogério Pereira disse...

Gostava de ser um pouco
Como esse corpo

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, nem dá para dar um parecer "técnico". Eu não entendo da técnica, mas do gostar eu entendo.
Adorei esse poema.
Beijo com carinho
Manoel

Nathan Barbosa disse...

Lindo seu poema, Gisa. Seguindo :))

ANTONIO CAMPILLO disse...

Una perfecta alegoría, Gisa. Si al ascender al cielo y estallar en lluvia seca las lágrimas debe volver a ascencer cada vez que los ojos de lenen de agua salada. La lluvia la convertirá en agua dulce y suave.
Querida Gisa, te deseo a ti y toda tu familia una
¡FELIZ NAVIDAD Y AÑO 2013 PLENO DE BUENAS NOTICIAS Y RADIANTE DE SALUD!

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Já quase com as malas na mão, passo para lhe desejar Festas Felizes. Até breve.
beijos