quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

OLHAR

Meu olhar
Surfou nas ondas,
Escalou montanhas,
Cavalgou as nuvens,
Despencou nas cachoeiras,
Levantou o pó das estradas
Principais e alternativas.
Meu olhar buscou os lugares
Mais remotos e mais circundantes,
Mais escondidos e mais expostos,
Mais inusitados e mais óbvios.
Meu olhar fechou-se tentando.
E isso, é o que realmente importa.

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

"A gente quer muito pouco: uma sociedade igual, as crianças na escola, a vida tranqüila, todos juntos, a vivência mais simples, os grandes empreendimentos humanos: teatros, cinemas, estádios, ainda maiores para que o povo possa participar mais.
Ultimamente, ando muito ocupado. Quase todo dia vem gente aqui para fazer entrevista, mas eu levo a conversa para outro lado porque não vou falar de arquitetura e dos prédios que faço. Nada disso é muito importante. Os assuntos de arquitetura têm importância relativa para quem é arquiteto ou para quem a arquitetura se destina. Mas acredito que o importante é a vida e a luta política.
Lembro que um dia cheguei a meu escritório e havia um garotinho vendendo balas na rua. Ele tinha uns dez anos. Do elevador até a minha sala a miséria dele me parecia a coisa mais triste do mundo. Quando cheguei resolvi pedir a alguém para chamá-lo. Perguntei ao garoto: onde você mora? Ele disse: durmo nas calçadas. Tentei levá-lo para o estudo, mas ele estava nessa vida de luta e de aventura correndo da polícia, e foi ficando difícil até que desisti. Depois de dez anos ele apareceu por aqui, já um homem – e não para pedir ajuda ou nada – só para saber se eu estava bem de saúde."

Óscar Neymar

(desculpa, mas me interrogo sobre o que realmente importa

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,
quase todos os dias te visito. Tenho a vista longa para teu blog e teu olhar.Tenho braços longos para abraçar,
tenho consciência e juízodo que faço.Meus julgamentos poéticos às vezes são severos - desculpe-me.
Mas este poema teu está entrando na boa linha, gostei, parabéns.
Chico - com o longo abraço.

Camila Mancio. disse...

Eu amo seu blog, sério.

ANTONIO CAMPILLO disse...

Pues si, querida Gisa, se busca sin encontrar por y entre la diferente orografía natural sin encontrar esa pequeña pizca de perla que brilla tras formarse en el interior de la ostra.
Posiblemente lo que se deba hacer es buscar sin mirar, descubrir tocando, señalar mediante un tenue perfume, guiarse por un sueño con tanta fuerza que se cumpla en su totalidad.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Paulo Francisco disse...

Tentar sempre? Talvez.
Um beijo grande

Flor de Jasmim disse...

Lindo Gisa, que esse teu olhar continue com essa pureza que possuis!

beijinho e uma flor

António Jesus Batalha disse...


Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom,dou-lhe os parabéns, espero vir aqui mais vezes. Ao levantar nosso olhar vimos o que queremos ver, e isso faz-nos olhar mais ou deixar de olhar, mas para além fica a miragem vista mas que muitas vezes não se pode contar.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito satizfeito.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais,mas gostaria que não se sinta constrangido a seguir, mas faça-o apenas se desejar, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e muita paz e saúde.