terça-feira, 20 de novembro de 2012

PEDRA E VENTO

Ela chorava enquanto ele ia.
Ele chorava enquanto ela ficava.
Ela sabia que deveria ficar.
Ele sabia que deveria ir.
Ela não entendia o porquê de ele ir.
Ele não entendia o porquê de ela ficar.
Ela queria poder ir.
Ele queria poder ficar.
Ela olhava o nada para onde ele ia.
Ele olhava o nada onde ela ficava.
Lágrimas selaram o sonho que
Acabava de se formar.

8 comentários:

Adélio do Tempo disse...

Beijos Distraídos
Adélio do tempo

Até o sol enfraquece
quando sente
a falta de você
Imagina eu
Até o sol enfraquece
quando sente
a falta de você.
Ohhhhhhhhhh Ahummmmmmmmmmm!
Ohhhhhhhhhh Ahummmmmmmmmmm!


Beijos distraídos
são luas apagadas no quarto.
Mãos desencontradas são beijos distraídos na estrada.
Tropeços na escada
são fantasmas respirando
desejos.

Rogério Pereira disse...

Ficar e ir
Ir e ficar
Porquê chorar?
Ir e ficar
Ficar e ir
Porquê não sorrir?
Ficar e ir
Ir e ficar
Um dia
O desencontro há-de acabar...

Luciano Craveiro disse...

Esse final tá mesmo difícil de interpretar. Vou ler de novo para ver se eu chego lá. rsrsrsrsrs!!!
Beijinhos

Catia Bosso disse...

Lagrima gera lagrima...


bjsMeus
Saudades*
*Catita

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, o que significa o que, não me interessa. O que me deixou intrigado com esse poema é a "viagem" que ele faz. Muito legal.
Beijo muito carinhoso
Manoel

Cristiano Marcell disse...

Bravo!!!Adorei o poema!!Não importa o desfecho...demais a história ficar meio em aberto!!

Parabéns!!

ANTONIO CAMPILLO disse...

Permanecer o caminar. Un dilema que siempre es doloroso siempre entraña que los sueños se cumplan o no.
Sólo se llora cuando la decisión es dolorosa. ¿Qué es? ¿Cuál es? ¿Por qué?
Creo que este poema de dolor y tristeza, soñado o no, es el resultado de un debate entre lo que se debe o no realizar, entre lo socialmente correcto y otra forma de entender la propia vida.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Julie disse...

Hermoso poema Gisa, de dolor, tristeza y poesía, sobre todo la poesía que ofrece tu alma. Bellas letras las tuyas, como siempre. Besos.