sábado, 10 de novembro de 2012

BURRICE

No vácuo gritou todas as palavras insensatas
Que há muito trazia aprisionadas na garganta.
Imóveis e assustadas,
Sem conseguir a devida propagação,
Foram recolhidas com toda facilidade
E trancadas no roto baú dos sentimentos abandonados.
Foi embora aliviado.
Sorte que as palavras não entendem nada de física!

5 comentários:

ANTONIO CAMPILLO disse...

Encerrar en un baúl roto sentimientos abandonados puede ser importante si son viejos e inútiles. Abandonarlos cuando casi acaban de nacer no es buen remedio a las adversidades que se deben superar.
Siempre existe un momento para tirar a la basura antiguos convenios y admitir nuevo aire fresco que puede resultar gratificante.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Rui Pascoal disse...

Coitado, o burro não tem culpa...
:)

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, rs...rs. Sorte mesmo! Achei super legal essa postagem. Você, muitas vezes, é de uma realidade imprevisível. (Não sei se me fiz entender, mas foi o mais perto que consegui para exprimir meu sentimento. Se aparecer algo mais claro volto aqui.)
Beijo carinhoso no seu coração
Manoel

Ana Andreolli disse...

ainda bem né?

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,
EXCELENTE POEMA TEU, ESTE QUE ACABO DE LER E ESCOLHER COMO UM DOS MELHORES QUE JÁ FEZ. PORQUE RECEBEU POUCOS COMENTÁRIOS, NÃO SEI. QUEM SABE?
MAS NÃO ESTOU AQUI PARA CRÍTICA, ESTOU PARA TE VER SORRIR DE ALEGRIA POR QUALQUER TOLICE, INCLUSE ESSAS MINHAS.
DEUS TE JOGOU DO CÉU PARA NOSSA AMIZADE-GRUDE.
Querida amiga, te amo por tudo que és e por tudo o que fazes.
Beijos e abraços afetuosos
Chico Miguel