terça-feira, 27 de novembro de 2012

TRISTE

Tela branca.
A ausência recortada
Sobre o cavalete
No meio do peito
Brilha.
O resto é sombra.
Sombra do que
Planejei ser.

11 comentários:

Lola disse...

Aiii, dor de poeta!
Pinta, poeta.
Pinta o quadro da tua vida...

Que bom estar aqui contigo.

Rogério Pereira disse...

Decididamente
Hoje
É dia de poeta triste ou ausente

Cada um carpe a sua mágoa
E a minha é colectiva
Minha amiga

Rui Pascoal disse...

"No meio do peito brilha". Alguém me andou a espiar...
:)

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, sombra do que planejei ser é algo muito bem pensado e fica bem numa tela branca mesmo, mas... infelizmente é muito triste.
Beijos carinhosos na amiga querida.
Manoel

heretico disse...

que seria da Luz sem a sombra que a iluminasse?...

beijo

*Escritora de Artes* disse...

Gosto das sombras...rs

Bjos querida amiga

Ana Andreolli disse...

triste, não teria outro título.

Mar Arável disse...

Noites claras

Nilson Barcelli disse...

A ausência e a tristeza andam muito de mãos dadas...
Belas palavras, porém de tristeza...
Beijo, querida amiga.

ANTONIO CAMPILLO disse...

La falta de una imagen en la blanca tela sobre el caballete denota falta de inspiración o decaimiento para poder representar lo querido, lo pensado, lo amado.
Sólo brilla el pecho, del que surgen los sentimientos que no se pueden representar. Las sombras rellenan el resto de la imagen inacabada.
¿Estás triste?

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Filoxera disse...

Uma telka branca aguarda sempre umas pinceladas alegres :-)