sexta-feira, 26 de outubro de 2012

FAZERES

Faço o que considero correto.
Faço o que considero justo.
Faço o que considero exequível.
Sigo meus desejos e vontades
Tudo,
Sem me importar com opiniões alheias,
Ou convenções sociais
Sou feliz.

7 comentários:

Ivone Poemas disse...

Gisa, estás no caminho certo!!!
Beijos!!!

JP disse...

E não precisas mais nada....És feliz!

Beijinho

Catia Bosso disse...

Ser feliz é isso!

bjsMeus
Catita

Rui Pascoal disse...

Faço hoje o mesmo que fazia há vinte anos atrás...
i.e., faço o que posso.
:)

Bom Fim-de-Semana!

ANTONIO CAMPILLO disse...

Perfecto, querida Gisa. Para ser feliz hay que realizar todo lo que dices en este exquisito poema.
Sin problemas, sin restricciones, sin trabas, para que los sentimientos afloren de nuestra mente e inunde el cuerpo de placer.
Quienes recriminan, los que abstaculizan, los que critican, lo hacen sin saber que la mente es el punto álgido del placer.

Un inmenso abrazo, querida Gisa.

Angela disse...

Que maravilha poder fazer o que se quer, sem amarras.
Bom fim de semana
Beijo

Centelha Luminosa disse...

Olá Gisa, bom dia!

Poema que evita o jorro de versos, denotando que a autora contenta-se com a fala natural e rica de uma mensagem, que de fato, o excesso seria extrapolar o que pontua em suas palavras, que é fazer o que considera correto. E o fez esplendidamente!

Bom final de semana pra todos nós, Gisa!

Beijinhos da Lu...