terça-feira, 9 de outubro de 2012

MARIONETE

Giro, ando ou danço
Movimentada pelos fios
Que saem do teu olhar.
Sigo tuas vontades,
Satisfaço teus desejos,
Manipulada por tuas hábeis mãos invisíveis.
Até quando serei tua marionete?
Até quando?

9 comentários:

Rogério Pereira disse...

Não é verdade...
Um dia te dei vida
Voltar, minha querida
É um acto de vontade


Ivone Poemas disse...

Gisa, nada de ser marionete, seja você sempre, ou melhor, à quem for dirigida essa linda mensagem!!!
Abraços!

Catia Bosso disse...

Que meigo...

Rimei 'marionete' com sete (de 37) nos meus versos de aniversario... rs

bjsMeus*
Catita

ANTONIO CAMPILLO disse...

No, Gisa, jamás se debe ser marioneta de nadie por mucho que te quiera, por mucho que le quieras tú u os queráis ambos.
La complejidad de satisfacer los deseos siempre es culpable de un desajuste en ambos amantes por los nimios, o grandes, motivos que impiden que una plena satisfacción tan buscada, tan ansiada, tan soñada, se pueda materializar.
Desear ardorosamente a alguien es tan satisfactorio, tan real, que pensarlo eriza el cabello de todo el cuerpo de placer anticipado.

Un fuerte abrazo, queida Gisa.

heretico disse...

porventura enquanto te for gratificante, não?

beijo

Rui Pascoal disse...

Faça como o Pinóquio... e vire menino(a) de verdade.
:)

Lindo!

vieira calado disse...

Até querer, penso... rs rs rs

Bjsss

Lu Nogfer disse...

Quantas marionetes vemos por aí!
Mas penso que quando se quer é só se desprender dos fios.

Beijos, amiga!

OceanoAzul.Sonhos disse...

Marionetes das palavras, aquelas que intensamente chegam ao coração.

Um prazer ler a intensidade do que escreves.
Beijo Gisa
cvb