domingo, 27 de abril de 2014

ESTÁTUA

Tenho trilhas a seguir.
Caminhos fazem de tudo
Para que eu sucumba 
Aos seus sussurros.
Mantenho-me ereta e ausente.
A anticonduta do sossego...
Até quando?

5 comentários:

Malu Silva disse...

É tudo muito lindo, intenso e profundo por aqui! Eu adoro passear pela tua escrita, Gisa! Sempre levo algo de bom comigo!!!
Abraços

Rogerio G. V. Pereira disse...

Como pássaro
Pouso em quase tudo o que é lado
Em ponto alto
Num ramo
Num beiral de telhado
Mas fujo das estátuas
Por respeito
Por falta de jeito

Mas
Se uma estátua me sorrir
Me acolher
Se tiver regaço
Pouso nele
Como pássaro
Sossegado
À espera de um qualquer desassossego

PERSEVERÂNÇA disse...

O tempo é cada um de nós que direciona, mas se o tempo não demonstra estar passando, então que tal um vinho bem geladinho, rsss
Gostei muito de ler o que escreveu, faz refletir sobre o tempo, muito bom mesmo.
Fraterno
abraço
Nicinha

Lê Fernand's disse...

há de se ter força para viver!

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa - Força de vida vem da vontade de gostar, de amar, de transmitir, de abraçar, de beijar - faça todas as ações não fez até agora com medo de estar errada, pecado,ou sei lá que tolices. Viva, amigo.
Receba todo o meu apoio, de coração a coração. Já se vão mais de dois meses que não trocamos sequer uma palavra. E os beijos de amizade, simpatia? Coragem, amiga.
Um abraço bem arrochado.
chico