sábado, 3 de maio de 2014

RUMO

Uma língua de fogo
Incandesceu o horizonte
Desafiando:
"Vem".
Lançou-se para a corrida
Usando o crepitar e o calor 
Como bússola.
Foi sem pensamentos.
Afinal,
Viver ou morrer
Não requer maiores análises.
O risco do desconhecimento
É sempre
O que traz o maior sabor.

9 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

O amor ao desconhecido ou o sabor dos riscos de novas experiências faz renascer o desejo de querer arder.

Um beijo a todas as Mães.

Rogerio G. V. Pereira disse...

O risco
não é ir sem rumo

o risco é não ir

Rô... disse...

oi Gisa,

não existe aprendizado,
sem riscos...

beijinhos

Mar Arável disse...

Vozes ao alto


heretico disse...

ousar o voo. e os abismos.

beijo

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gisalindamiga


Como certamente já sabes, estou (infelizmente…) de volta a este vale de lágrimas em que os criminosos que dizem que nos governam reina a felicidade e até consegui(mos?)ram uma saída limpa (???) depois de quase três anos de sofrimento, de penúria, de pobreza e de resignação. Somos assim, masoquistas, gostamos de levar na cabeça, que raio de vida e de estar de cócoras.

Goa ficou para lá voltar no próximo ano. Entretanto, estarei por cá e tentarei ir acompanhando, como habitualmente faço, este teu blogue. E, sempre que possível, comentando. Mas, hoje, ainda não comento…

Abç ao Edu, Qjs às mininas e um grandão e indiano para tu

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa, Gisa,
ALô, ALÔ!

Você está surfado ainda pelo mar da blogosfera, ou está apenas no seu porto?

Gosto muito dos seus poemas curtos. Experimente a prosa também.

Creio que já está no tempo de cuidar do SEU livro. O livro não morreu. Mesmo que o tenham matado, aqui acolá ele surge como espírito. O espírito dele é do amor. Como o seu.

Recentemente publiquei um - editora do Rio - com o título de "50 POEMAS ESCOLHIDOS PELO AUTOR'.

AMIGA GISA, QUEM É VIVO APARECE E EU AINDA ESTOU VIVO. NÃO ESQUEÇA DOS AMIGOS VELHOS E VELHOS AMIGOS.

ABRAÇOS DE GRANDE AFETO.
CHICO MIGUEL DE MOURA

Manuel disse...

Poema muito intenso, algo dramático mas de grande beleza.
Parabéns amiga!
Beijinho

Vieira Calado disse...

O desconhecido sempre nos inspirou.
Beijinho para si!