sábado, 18 de abril de 2015

ESCADAS

As escadas se confundiam.
Nunca sabia se partia ou chegava.
Subia ao descer.
Descia a subida.
Degraus materializavam-se
A medida que sumiam.
Coisa estranhas aconteciam
Naquela tarde.
Agarrou-se ao corrimão
Para entender os desenhos.
Queria retornar ao ponto inicial.
Almejava alcançar o final.
Conseguiria, com certeza.
Precisava ter calma
E concentração.
Só isso.
Calma
Con cen tra ção.

Um comentário:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Vi-a
Nem subia
Nem descia
Estava
Parada, sentada
No patamar
Da escada
Dei-lhe a mão
E aceitou
Seguimos amparados ao corrimão

Subimos? Descemos?
Que importa?