quarta-feira, 22 de abril de 2015

TRISTE

Queria morrer,
Havia decidido há algum tempo.
Fechou os olhos
E instalou-se em estado de cegueira.
Parou de andar,
Conduzindo-se a um estado inerte.
Não quis mais comer,
Dividindo seus dias com a inanição.
Assim ficou, quieta, a espera,
Envolta na névoa de orações,
Freneticamente repetidas,
Por aqueles 
Que a amavam 
De verdade.

3 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

A tristeza é um pássaro
que perdeu o sentido do destino

Orar não basta
Apontemos um beiral
onde pousar

heretico disse...

... e ao terceiro dia ressuscitou?
assim espero!

beijo

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gisalindamiga

Desânimo é palavra (e sentimento) que não deve - não deve? - não pode fazer parte do nosso vocabulário existencial.

Mas... se em Goa me tivessem cortado a perna (aquilo esteve mesmo muito mal) sei lá se não ficaria desanimado... Ficava.

Qjs paras as mininas, abraço ao Edu e um beijão dos nossos para tu. A Raquel concorda... Os matulões e a Leninha ainda não os vi...