quinta-feira, 7 de novembro de 2013

GALEGO

Hoje, sonhei nossa realidade.
Não haviam palavras, mas músicas.
Olhares eram substituídos por toques
Cegos em todas direções,
Permitidas ou não.
O calor, desfeito em fios vermelhos,
Tricotava a trama perfeita,
Em que tu e eu éramos o adorno principal.
Havia muitas pessoas ao nosso redor.
Passavam, sem rosto, de um lado para outro
Compondo o compasso dos ritmos em mudança.
Hoje, sonhei nossa realidade.
Acordei decidida que ali não era mais o meu lugar.
Fiz as malas com pressa e parti sem volta.
Aguardavas ansioso em meio a neblina,
Mas certo que eu não iria te decepcionar.

3 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Lindo

Passo para desejar boa tarde, e excelente quinta feira

beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Sidrina Mamba black disse...

Porque el titulo GALEGO para este poema¿
Bicos

ANTONIO CAMPILLO disse...

Complejo, muy complejo soñar la realidad, Gisa. La realidad se está produciendo en cada instante, en cada mínima fracción del tiempo que se vive. ¿Cuál es la realidad? ¿La establecida? ¿La soñada? ¿La inalcanzable? ¿La que se debe alcanzar? Para cada una de las respuestas debemos cumplir unas realidades que se dilatan conforme alcanzamos el objetivo final.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.