terça-feira, 26 de maio de 2015

ESTRELA

A estrela amanheceu
E fez-se sol.
Plenamente absoluta
Reinava em si bemol.
Entoava melodias,
Enternecendo o horizonte
Prenhe de expectativas
Entorpecidas nos seus montes.
A estrela adormeceu
E desfez-se o encanto.
Aconchegando no regaço
Ao som do terno acalanto
Todos aqueles que sonharam,
Um dia, estarem sob seu manto.

4 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gisalindamiga

Tu é que és uma estrela. Num verso tão curto dizes tudo o que pretendes dizer... Aleluia! E não digo mais para não me espalhar.... :-)

Bjs da Kel, abç ao Eduardo e um beijão daqueles que são os nossos do Pernoca Marota

Rogerio G. V. Pereira disse...

Estrela que amanhece
Que bom
Todas as manhãs tal acontece

Uouo Uo disse...


thank you

سعودي اوتو

Manuel disse...

Gosto dos seus poemas, já o tenho dito. São simples e têm sempre uma mensagem, por isso gosto.

Não me tem visitado? Está zangada?