sábado, 9 de maio de 2015

INVASIVA

Transbordava.
Tinha o difícil problema
De não caber em si.
A alegria lhe escorria
Em fitas coloridas 
Pela boca.
A tristeza, em rios escuros
Pelos olhos.
A raiva,
Em faíscas vibrantes
Pelo corpo todo.
A paixão
Em ondas cintilantes
Que alcançava todos ambientes
Embalada pelo som de sua
Gargalhada cristalina.

6 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Se tem todos os sentimentos necessários
E se
Alegria, Tristeza, Raiva, Paixão
transbordam pelos sentidos
Qual é o ponto?

Manuel disse...

Um poema feito de metáforas que o tornam belo, intenso e cheio de paixão!

Flor de Jasmim disse...

Que as fitas coloridas não abandonem !

Beijinho

CÉU disse...

Olá, Gisa!

A alegria é dos sentimentos mais bonitos e contagiantes, e qdo é invasiva, tanto melhor.

Todo o seu poema passa por diversos estados de alma, o k me permite ver que você, a sua escrita, tem bastante à vontade com as palavras.

A "imagem" das fitas está demais.

Dias mega felizes, querida!

Beijos.

heretico disse...

inteira e livre, dir-se-ia...
gostei. deveras.

beijo

Amapola disse...

Boa noite, querida amiga Gisa.
Lindo poema!
Muitos de nós nos identificamos nele, em alguma circunstância.