quinta-feira, 28 de março de 2013

(IM)PURA

Iluminava-se.
Recebia, de bom grado,
O sol filtrado pelas
Luzes coloridas
Do grande vitral.
As tonalidades brincavam por seu corpo
Possibilitando belezas fugazes,
Quase celestiais.
Esperava o horário certo de ressurgir
E assumir a vida noturna da cidade.
Enquanto o tempo de descer não chegava,
Aguardava inserida no lindo adorno
Que ocupava a única janela
Do pequeno templo.
Orava, compungida,
Na última missa do dia.

8 comentários:

Andradarte disse...

Este é o horário certo, para
desejar a si e seus familiares...
Uma Santa Páscoa
Beijo

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um poema que retrata uma realidade
"muito real".
Venho desejar-lhe uma Feliz Páscoa.
A amiga que não a esquece
Irene Alves

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Chego na hora certa para desejar uma Páscoa Feliz, desde a Terra das Mil Lendas
Beijos

Nos Amando... disse...

feliz páscoa maravilhoso
texto lindo fim de semana
beijokas

Flor de Jasmim disse...

Gisa minha querida uma feliz Páscoa e para todos aqueles que te são queridos.

beijinho e uma flor

Rogério Pereira disse...

Hoje pousei minha cruz
Por humildade, deixei a Cristo o merecido protagonismo... eu não ressuscitarei

Por isso procurei gente (im)pura
Fui procurar com quem orar

Oremos juntos
à Boa Páscoa

ANTONIO CAMPILLO disse...

Las vidrieras filtran la luz como las redes deberían filtrar los buenos y malos gestos humanos. En estos días en los que se puede solicitar ayuda a la luz transformada, es necesario que se conceda que la justicia y belleza celestiales cumplan el oratorio de la última misa.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

lindo momento e relato!