segunda-feira, 6 de maio de 2013

REINVENÇÃO

Reinventei tua imagem
Por necessidade própria.
A anterior já não mais me servia.
Rota, esfarrapada
Manchada de passados longínquos,
Pingados de lágrimas.
Impecavelmente novo,
Retornaste em ardor e paixão,
Como sempre deveria ter sido,
E, se depender de mim,
Como, para sempre,
Serás.

5 comentários:

Rogério Pereira disse...

Saí de casa. Na rua senti a estranha sensação de leveza, que o ar era mais puro, o cérebro desanuviado, o andar mais ligeiro e o respirar menos pesado... Ao passar pelo meu reflexo espelhado no vidro de um carro vi uma imagem reflectida que parecia ser a minha, mas mais novo. Impecavelmente novo. E segui o meu caminho com a certeza de ter que agradecer a alguém. Mas a quem?

Andradarte disse...

Como o mundo é fácil e belo....visto
pelos poetas....
Boa semana
Beijo

ANTONIO CAMPILLO disse...

Nada existe más grato que reinventar una imagen ya dibujada en la mente, Gisa. Si existe esa reinvención nunca se debería dejar que volviese a diluirse en el humo del tiempo.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Fê Blue bird disse...

Dá muito jeito minha amiga reinventar tudo de novo :)
beijinho

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, essa reinvenção muitas vezes é a única posição a ser tomada num determinado e já desgastado momento.
Beijos grandes
Manoel