quinta-feira, 23 de maio de 2013

VALSINHA

Atrás da persiana
Os olhos dispersos
Parecem que dançam
A valsa do adeus.

Recorrem e correm
Ao longo caminho
Daqueles que buscam
Os meus e os teus.

Um dia se cansam,
Esperar mais não podem,
Liberam os prantos
Há tanto, ateus.

Esvaem-se em água
Dissolvem o entorno
Desfazem o rosto
Em todos os eus.

6 comentários:

Andradarte disse...

Um Bom Fim de Semana, depois dessa valsinha...

Fê Blue bird disse...

Uma valsinha que tantas vezes "dançamos" por detrás da persiana.

Lindo!

beijinho

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa
até que a valsa não está ruim, dá pra gente ficar dançando sem pensar em nada. Salvo você, autora.
chico miguel

*Escritora de Artes* disse...

Uma bela e intensa valsa...

Bjos querida amiga

heretico disse...

valsinha rodopiante.

amei

ANTONIO CAMPILLO disse...

Aí, Gisa, cuando se está ciego del alma puede suceder cualquier cosa. Provocan la intranquilidad aunque parecen bailar. Provocan la tristeza aunque piensan en su valsinha.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.