sexta-feira, 27 de setembro de 2013

ESPELHOS

Na sala dos múltiplos espelhos
Perdeu-se.
Imagens em confusão a escondiam.
"Refúgio melhor não existe!" - pensou.
Nunca mais iria se preocupar
Com as aparências...

5 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Essa é boa para mim.
Que vivo reclamando com os espelhos, depois do acidente, revoltei-me com eles.
beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,minha grande amiga:
Meu comentário é, antes de tudo um abraço pelo teu belo poema curto. Curti. Como curto você.
bjs.
chico

Dilmar Gomes disse...

Gisa, teu poema me reportou a Jorge Luis Borges, que gostava muito de temas relacionados a espelhos.
um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

*Escritora de Artes* disse...

Fato....

Bjos

ANTONIO CAMPILLO disse...

La multiplicidad de imágenes pareciese que aumenta la vida de quienes se reflejan una y otra vez, desde todos los ángulos posibles. Se podría querer tocar, besar y hablar, con todas la imágenes a la vez, sin saber cual de entyre ellas es la verdadera, la que podría ofrecerte una realidad que subyuga por conocer todos sus secretos. Una espléndida interpretación, querida Gisa.

Un beso enorme.