sábado, 28 de novembro de 2015

ESFINGE

Rondas.
Olhas.
Sorris.
Segue o enigma
A quem se atreva
A decifrar.

5 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Desisto
Enigmas? Nunca fui bom nisto

Mas aprecio uma esfinge

Paulo Francisco disse...

xiiiiiiiiiiiiiiii! Meu Qi não alcança. rs
beijogrande

Henrique Antunes Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Henrique Antunes Ferreira disse...

Gisalindamiga

Foi sempre assim desde que o Mundo é Mundo e o Homem é Homem:há "coisas bonitas" e sintéticas que se entendem e outras também bonitas e sintéticas mas que não se entendem. Os haikais são muitas vezes assim.

Este teu poemeto é lindo e eu entendo-o...

Bjs da Raquel abç ao Edu e qjs para as "jovens" das quais um muito especial é para ti

Leãozão

Ainda não foste bisbilhotar o A Minha Travessa; é recém-nascido, ainda usa fraldas e chupeta, mas, espera por ti, como sempre. Vem logo!...

AC disse...

Nem sempre as coisas são enigmas, às vezes apenas são.

Um beijinho, Gisa :)