domingo, 10 de fevereiro de 2013

LADAINHA

Luzes vibrantes.
Adentra o Arlequim.
Urros de viva!
Em malabarismos assimétricos
Movimenta-se pelo palco,
Indo se colocar no canto esquerdo da cena.

Iluminação tênue.
Surge o Pierrot.
Aplausos tímidos.
Em passos quebrados
Dirige-se no espaço
Até esbarrar na cortina direita.

Iluminação clara.
Aparece a Colombina.
Confetes e purpurinas de incentivo.
Em meio a dança
Rodopia sem parar
Atingindo o centro dos olhares.

Começa o espetáculo.
Um gosta de um que gosta de outro
Que gostaria do um se não fosse o outro
Que queria estar com o outro se o um não visse,
Mas na presença do um desdenha o outro
E diante do outro jura amor ao um.

O público por sua vez
Quer ver o um com o um
E que o outro desista
Pois o um é verdadeiro e o outro não.
No entanto, o um mente e o outro é sincero,
Fato percebido pelo um.

Um, um e outro trocam de lugar e gesticulam.
A assistência levanta-se e põe-se a discutir seus ideais.
Todos são um, outro e um.

Cai a cortina
Cai o teatro
Cai o céu
Cai a lua
E para um grande buraco negro
Todos escoam.
Vão gritando e brigando
Pois ainda querem saber
Se um gosta de um que gosta do outro
Que gostaria do outro se não fosse o um...


8 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Pois é amiga Gisa, eis a confusão dos sentimentos humanos!
Um abraço. Tenhas um ótimo feriadão.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Sempre profundo o que escreves, os sentimentos humanos são muito controversos mesmo.


Um beijinho com carinho e desejo um bom Carnaval.
Sonhadora

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, sensacional minha amiga querida. Coisa de gênio.
Beijo com carinho
Manoel

Palavras disse...

E um e outro nunca chegam a um denominador comum.

Bjs Gisa, bom carnaval!

Leila

Mar Arável disse...

Palavras suculentas

para ler nas entre-linhas

heretico disse...

o "faz de conta" ... da vida.

beijo

ANTONIO CAMPILLO disse...

Estupenda representación teatral, Gisa- Pero… no puedo percibir bien parte del texto. Aparentemente existe un doble, como el propio Arlequín, el real y el que actúa. De entre ellos uno será el elegido tras largo debate. Si es así creo que está muy bien escenificado e imaginado.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Malu Silva disse...

O teatro do dia-a-dia, a representação dos sentimentos, bem descrita aqui.
Um grande abraço e uma semana cheia de realizações...