sábado, 23 de fevereiro de 2013

MEDO

Percebeu o vazio da sala quando passava de um cômodo para o outro, pelo longo corredor. Voltou alguns passos parando na porta do espaçoso ambiente. Imaginou as muitas formas como poderia preenchê-lo. Vasos, móveis, cortinas...talvez um piano no canto. Sim, música é essencial! Almofadas, muitas! Cores de todos os lados, alegrias pontuais...
Tudo idealizado, fechou a porta e seguiu em frente, ainda tinha muitos afazeres antes disso, felizmente...

5 comentários:

Rogério Pereira disse...

Deixaste espaço para valsar?

É nesse compasso
que o medo pode acabar

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Como sempre ler-te é um prazer.
Um bom fim de semana.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Flor de Jasmim disse...

Bem idealizado aguarda a realização.
Bom domingo querida

beijinho e uma flor

CHIICO MIGUEL disse...

No rumo da prosa poética, vai bem.
Gostei.
abs.
x

ANTONIO CAMPILLO disse...

Sí, es posible tener miedo de la belleza, del placer, de lo aparentemente dulce, ...
Cuando se poseen capacidades para captar aspectos que pueden conllevar unos sentimientos determinados, se posee una prevención que es similar a la pérdida del placer.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.