segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ZELO

Conhecia os passos.
Admirava o silêncio da chegada
E a maneira,
De como quem não quer nada,
Que ia se alojar,
Sempre,
Ao fundo da cena,
Depois da última luz.
Dali cuidava-a com zelo.
Ela, protegida,
Encantava a todos
Na arriscada
Acrobacia.

3 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Na acrobacia tem de se usar a calma e o bem senso. Os passos devem ser leves e cuidadosos.

Cidália Ferreira disse...

Bom dia

Gostei de ler...Excesso de zelo, pode dar mau resultado, lool

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Flor de Jasmim disse...

Lindo zelo Gisa, adorei.

beijinho e uma flor