quarta-feira, 26 de junho de 2013

ENCONTRO

O medo vinha
Arrastando-se pelos cantos,
Como o firme objetivo de roubar a cena.
O riso serpenteava por todo espaço
Dono absoluto do palco e das atenções.
Esbarraram-se no meio do último ato
Erguendo as máscaras rotas
Por um mínimo instante.
O medo sorriu.
O riso temeu.
Concluíram que ainda não era a hora.
Desviram os olhares
Seguiram caminhos opostos
Até o próximo susto.

9 comentários:

Ricardo/águia_livre disse...

Dizem que ter medo é sinal de inteligência. Será que alguém concorda?
*********************
Querendo, visitem-me

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Cidália Ferreira disse...

Falar de medo, eu sou uma medrosa por natureza..
Se fizesse parte da inteligencia, ui seria esperta de mais loooool.. e eu não sou!!

beijinho
visitem:http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/2013/06/mais-um-dia.html#comment-form

La Gata Coqueta disse...

Para ti...
Que haces sonreír a mi alma,
que me alimentas con tus vistas
y me Bendices con tu valiosa Amistad

Para ti...
Que a través de la distancia
me has contagiado con la ternura,
te hago entrega de este
humilde presente…

“La sonrisa de las palabras”.


Atte.
María Del Carmen

CHIICO MIGUEL disse...

gisa,
Gostoso é te ver, te ler (quase ouvindo) e abraçar ouvindo os toques dos teu coração: tuc, tuc, tuc!
Beijinhos de saudade...
Chico

Mafalda Sofia Antunes disse...

Olá olá gosto sempre de ler os teus maravilhosos poemas,tens muito jeito. Fica com deus querida,excelente quinta-feira!! Beijinhos fofinhos!! http://mafaldinhaarte.blogspot.pt

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Cara confrade Gisa!
Apreciei conhecer seu encantador espaço cibernético!
Já tornei-me seguidor!
Desejo intensamente que o riso sempre vença o medo!
Caloroso abraço! Saudações risonhas!
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Muito bonito este susto.
Que venha já outro ...
Seguiram caminhos opostos o medo e o riso, mas voltarão a defrontar-se.

Graça Sampaio disse...

esta menina gosta mesmo de teatro! E tem um toque de surrealismo, tem! Gosto!

Beijinhos

ANTONIO CAMPILLO disse...

Miedo. Una sensación de defensa, de atención, de escape, de picardía, de terror ante lo que no debería suceder. Entre los amigos, o personas que lo alientan se encuentran, a veces, los propios fantasmas o quienes desean el mal. Defenderse de él supone no escapar a otra ocasión en la que un hecho suponga temer reacciones previamente conocidas.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

P.D.: Es la tercera vez que escribo en estas publicaciones... que repito hoy. Deben encontrarse enfadados los electrones. Un beso.