sábado, 15 de junho de 2013

FUGA

Cansada.
A porta da rua entreaberta
Convida à fuga.
Fugir?
Não, não é suficiente.
Quero desaparecer
Sem deixar direção.
Talvez um dia percebam
Minha ausência...
Ou talvez não...

9 comentários:

Inaie disse...

Ah minha querida, todo mundo se sente assim de vez em quando!!
Mas a sua falta ia ser sentida imediatamente.
Banho quente, faz um casulo de cobertores e fica escondidinha nele até passar.

Ricardo/águia_livre disse...

Quando a alma é salutar
Quando existe amor no coração
O melhor é acreditar
Que fugir não é solução
.
A minha homenagem ao poema
.
Tenha(m) um Domingo muito feliz...

Marco Rocca disse...

Lindo este poema!
Um tema que sempre me atordoa, este.
Aplausos!

Samuel Balbinot disse...

oi Gisa.. adorei suas poesias já te sigo... poesia é nosso alimento né
bem diversificados os temas dos teus poemas.. prazer ler-te

lapidandoversos.blogspot.com

bjs e um lindo dia

Ani Braga disse...

Seu blog é um encanto!
Tudo lindo e de muito bom gosto.
Se puder dá uma passadinha no meu e segue também se gostar.

Beijos
Ani

HTTP://cristalssp.blogspot.com.br

Misterio Tuyo disse...

Me ha gustado especialmente, porque yo hoy me siento así...

Un beso.

heretico disse...

dias de barra pesada - quem não tem? ...

beijo

*Escritora de Artes* disse...

Também já tive vontade de sumir e nao voltar mais........

Mas se for volte logo, seus escritos já fazem parte da minha vida..

Bjos querida amiga

ANTONIO CAMPILLO disse...

Alguna vez es necesario romper la monotonía y salir del cascarón que nos envuelve por todos lados. Lo que se plantea es la oportunidad de hacerlo dejando cabos sueltos que se encuentran atados a tobillos y muñecas por lazos potentes de amor.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.