sexta-feira, 14 de junho de 2013

TRISTE

Dentro da lágrima
Escorreu pelo rosto.
Contornou todo delicado percurso
Com a firme ideia de que
Aquele era o encerramento.
Acarinhou os lábios receptivos
Entrando, sem pressa, na boca.
Com o sabor salgado,
Dissolveu-se na língua
Acreditando que, um dia,
Poderia recomeçar.

7 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Pois...lágrimas... também existem as de alegria,e se calhar serão doces (:

Lindo.
beijinho

Ricardo/águia_livre disse...

As lágrimas são gritos da alma saidas pelos nossos olhos
Podem ser de tristeza como podem ser de alegria

Deixo cumprimentos

Silenciosamente ouvindo... disse...

Muito bonito a utilização das
lágrimas nesta sua poesia.
Desejo-lhe um bom fim de semana.
Bj.
Irene Alves

*Escritora de Artes* disse...

Lindo...!

Bjos querida amiga

ANTONIO CAMPILLO disse...

Sólo es una lágrima furtiva que ha escapado con un lamento del alma, Gisa. Es cierto que para hacerlo es necesario que se haga una mixtura con una base de tristeza, un rallado de soledad, unos tacos de "poder ser", una pizca de sal, otra de meditación molida y un toque de nostalgia, bueno este último ingrediente se puede echar al gusto. Cuézase durante unos momentos de meditación y se tendrá un producto directo del alma. Querría que tus recetas fuesen más alegres y pícaras. Te sentiría mejor.

Un fuerte abrazo, querida Gisa.

Cris Campos disse...

Gisa,

Acreditar, no final, é tudo que nos resta. Gostei minha linda! Gr. Bj.!

Flor de Jasmim disse...

As lágrimas são os meus gritos abafados.
Acreditar é fundamental.
Bom domingo minha querda

beijinho e uma flor