sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

ESTADO

Sem muito acreditar,
O sonho invadiu a realidade
Colocando-a nas mãos dele.
Fechou os olhos.
Entregou todos os sentidos
Ao sabor das ondulações produzidas
Pelo sopro das estranhas palavras sussurradas.
Em pequenas doses, estas
Circundavam-lhe o pescoço,
Aqueciam-lhe o regaço
Ou dançavam atrevidas
Obedecendo as sinuosas linhas dos seus seios.
Foi acarinhada sem pressa,
Presenteada com os mais diversos arrepios e tremores.
Conduzida pelas mais variadas trilhas
De puro êxtase e prazer,
Derreteu-se.
Com muita cautela,
Foi guardada por ele na bonita garrafa de cristal azul.
No silêncio do novo ambiente,
Adormeceu sem pretensões de despertar.
Sabia que assim iria ficar por algum tempo
Ou ao menos até que
Novas vontades a acordassem sorrindo
Reacendendo o seu interesse em condensar.

13 comentários:

wcastanheira disse...

O sonho invadiu a realidade, qtas evzes a poesia invade a vida, qtas vezes o delirio marca a força do amor? Muitas e são tantas q permitem á poesia navegar no doce mar do faz de conta, belo, lindo adorei andar por aqui, pra vc bjos, bjos e bjosssssssssssssss

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, genial essa passagem do sonho a realidade. Que imaginação!
Beijo com carinho.
Manoel.

iglesiasoviedo disse...

Los sueños son los deseos, la realidad es lo que tenemos. Cada uno decide que es lo que quiere vivir y como, equivocarse es ser infeliz y lamentarlo.
Besos en las estrellas.

Flor de Jasmim disse...

Excelente imaginação!
Adorei querida.

Bom fim de semana

Beijinho e uma flor

Anne Lieri disse...

Gisa,linda demais sua poesia!Um passeio suave num momento de amor!Bjs,

Juan Antonio Torron Castro disse...

Gisa gracias por tu visita y decirte, que me gusta mucho tu escrito.

Un saludo grande.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Os sonhos são o caminho para a sua concretização. Acreditar é fundamental!
Gostei muito Gisa!

beijinhos
cvb

silvioafonso disse...

.


Voltei, como o filho torna
a casa, para dizer da mi-
nha amizade e da beleza de
sua escrita.

Beijos,

silvioafonso






.

Rogério Pereira disse...

PROSTRADO

Olhou a garrafa
onde ela estava
Jazia adormecida
com um ar muito sereno
azul anjo, por detrás do cristal
Pegou num qualquer metal
e tocou ao de leve
esperando que o tilintar
a pudesse acordar
Mas nada se ouviu
a não ser
uma balada
de adormecer
Cerrou os olhos,
ele também... e assim ficou, prostrado, ao seu lado

MARILENE disse...

Adormecer sem pretensão de despertar traz a certeza de um belo sonhar.
Bjs.

Sérgio Pontes disse...

Gostei muito, beijinhos

Richard Moisan disse...

Toi aussi, Gisa, tu rêves beaucoup... Parfois le rêve se mêle à la réalité. C'est ce qui m'arrive en ce moment.
Bon dimanche!
Je t'embrasse.

Misturação - Ana Karla disse...

Gisa, as vezes acordamos com a certeza que o sonho é realidade.
Encantada com o poema.
Bom domingo e boa semana.
Xeros