terça-feira, 24 de janeiro de 2012

REUNIÃO

Convocada para secretariar
Uma reunião entre o eco e o vácuo,
Apresentou-se no horário combinado.
Iniciada a pauta dos temas a serem debatidos,
Reparou que:
O primeiro tudo repetia, enquanto
O segundo nada propagava.
Compreendeu logo
Que neste diálogo não haveria futuro.
Encerrados os trabalhos,
Obviamente sem qualquer conclusão,
Lavrou a ata,
Já que, de qualquer forma,
Era isso que lhe competia fazer.
Após as assinaturas de estilo,
Todos retiraram-se da sala.
Ficou sozinha.
Foi até a janela e vestiu-se de vento.
Saiu a voar pelo imenso espaço pensando
O quanto ambos perderiam
Por serem tão limitados.
Teve pena, mas não deixou que isso
Afetasse a beleza do seu
Final de tarde.

10 comentários:

iglesiasoviedo disse...

Nunca dejes que la rutina de la vida ahogue tus sueños.
Vivir sin sueños no es vivir, es subsistir.
Que nada ni nadie, haga desaparecer la sonrisa de tu cara.
Besos en tu corazón.

João da Nova disse...

Há dias que nos sentimos “parte” dessa reunião, a impotência de nada poder mudar, de “perder” tempo e não deixarem que se possa ser parte da solução… Gostei, das palavras e da estrutura.

Julie disse...

En la rutina está el secreto del triunfo Gisa. En el ocaso de la vida la belleza es sueño. Lindo poema y hondo hondo...

Flor de Jasmim disse...

Excelente não deixar que o uma coisa interfira na outra, pena não se aplicar a todos nós.

Beijinho e uma flor

Sérgio Pontes disse...

Intenso, gostei

Beijinhos

@ Escritora disse...

Bem criativa essa reuniao!

Bjos

Nos Amando... disse...

acho que não ceder
em alguns momento
nos leva a limitações.
linda noite Gisa querida bjs

ANTONIO CAMPILLO disse...

Difícil entendimiento entre el eco y el vacío, Gisa.
Es normal y muy razonable que nunca puedan ponerse de acuerdo porque lo reiterativo no aporta soluciones.
La soledad del viento y su disfraz de interlocutor no pueden hacer que el acta sea fiel a lo expresado. ¡Se repite tanto!

Un fuerte abrazo, Gisa.

Luís Coelho disse...

Um texto muito bom. Mudar o programa de trabalhos até que tudo fique concluído.
Diálogo impossível. Até a simples janela se vestiu de vento.

Richard Moisan disse...

Voilà un rêve typique d'une avocate!.... :-)
Bisous Gisa.