segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

VERSÃO CUBISTA

O frio laminou todo seu corpo.
O vento encarregou-se de transportá-la até local seguro.
A muito custo,
Reconstruiu-se, pouco a pouco,
Costurando-se cada parte
No local que melhor entendia.
Fez-se nova e bela
Naquela sua nova versão.
Saiu despertando admiração e encanto,
Somente daqueles que realmente
A mereciam.

(Reedição)

7 comentários:

Nos Amando... disse...

somente dos que a
realmente mereciam,
que profundo e intenso.
lindo inicio de semana
bjs

Rogério Pereira disse...

VERSÃO REDONDA


O calor abrasou todo seu corpo.
O suão deu-lhe a mão levando-o sem esforço nem alvoroço àquele oásis.
Refrescado,
procedeu à operação de auto-reconstrução, lentamente,
Como hábil escultor
esculpiu-se forte e sedutor
Naquela sua nova versão.
saiu ao encontro dela para admirar seu encanto,
Ele a merecia, disso sabia...

Fabio Ruben Lopes Paulos disse...

excelente texto

CYWMARA WADISQUY disse...

APLAUSOSSSS...adorei
talvez uma nova versão faça mais sucesso...
XEROOOO GRANDE \o/

CHIICO MIGUEL disse...

Gisela:
de manhã precisei de uma canção
para que o ar da janela
me entrasse,
pelos olhos e pelo pulmão.

acalentei-me com ele e com teu poema - teu coração.

segura/insgura diante da ocasião,
és como eu - os gemininanos.

O vento roubou-me as palavras
voaram como pombas no céu,
perdi o poema,
mas te ganhei lendo o sorriso
em tua carta, a medo e sem razão.

Carla Ceres disse...

Eu ainda não conhecia esse, Gisa. Gostei. :) Beijos!

lufreesz disse...

"Fez-se nova e bela
Naquela sua nova versão.
Saiu despertando admiração e encanto,
Somente daqueles que realmente
A mereciam."

Gostei demais!

Um grande abraço Gisa^^