terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

JOGO

Histórias totalmente diversas. Períodos de tempos distantes. Personagens que só poderiam se encontrar com um leve cumprimento de olhos enquanto se cruzavam pelos corredores. A luminosidade era pouca e a música, muito alta. Mentes etilicamente alteradas. Olhares lânguidos deram-se as mãos por tempo demasiado. Fogo de um lado, indiferença do outro. Tempo passando, pessoas passando, olhares passando, pensamento tornando-se fixo. Concreto, argamassa e inabalável construção de armadilhas que visavam apenas capturar a atenção. Intento realizado com sucesso. Iniciou-se o incêndio do lado que restava. Tempo passando, pessoas passando, olhares tornando-se curiosos. Conversas frequentes. Explosão de palavras ditas e não ditas. Dúvidas e revelações em doses homeopáticas. Crescimento de desejos. Planos concretos. Objetivos diversos, bem definidos e conhecidos por ambas as partes. Idas e vindas. Mais dúvidas. Apostas. Fogo. Auge. Água. Cinza. Dor. Saudade.
Arrependimento?
Por quê?
Tudo foi meticulosamente cumprido dentro das duas expectativas.
Ritual findo.
E nunca devemos esquecer que
Jogo é jogo.

14 comentários:

Li disse...

E mesmo assim ainda vivemos buscando um "vencedor"... mas como se vence, um jogo, onde o prêmio está dentro de nós.
Beijinhos
Li

Guará Matos disse...

E treino é treino.
Mas jogar de verdade é bem melhor, sim?
Bjs.

Marinha disse...

No jogo do amor não há perdedor, quando as expectativas de ambos foram alcançadas. A saudade é que, muito desinformada, insiste em querer recomeço.
Bjo e amor e paixão e vida plena pra ti, amiga minha.

Mais Pernambuco disse...

Muito lindo, e o seu blog também é lindo, muito obrigado pelo comentário e eu vou acompanhar o seu blog sempre. Obrigado.

Julie disse...

Precioso Gisa. Fuego, agua, nostalgia... Ceniza. La vida es el ritual. Me encantó.

Carla Ceres disse...

Hoje estou literal. Seu texto me deu vontade de escrever um conto catástrofe. Beijos!

iglesiasoviedo disse...

Pasamos la vida corriendo detrás de algo que no conocemos bien que no sabemos bien que es, algo llamado triunfo, no miramos dentro de nosotros, al lado nuestro en nuestro entorno, ahí esta lo verdaderamente importante en nuestra vida.
Un abrazo.

Rabiscando Poesias disse...

Oi meu anjo, que delicia seu blog, deixo-te um beijo grande , me passa um contato seu pra gente prosear , bjs

Vinicius.C disse...

Nossa, adoreo seu texto!

Jogo é jogo, saber mover-se e sem blefes ganhar.

Adorei seu blog!

Convido você a conhecer o "Alma do Poeta" meu blog.

Uma ótima tarde!

Luis Nantes® disse...

Humm!! Quem foi que perdeu no seu jogo? Beijos

Lufe disse...

Quando o jogo é jogado e os contedores tem pleno conhecimento das regras e das apostas, não existe vencedor ou vencido. O que vale é o jogo....

bjos

Rart og Grotesk disse...

goste do jeito que vc colocou as palavras no texto, vai criando uma expectativa, até falar do jogo no final, muito bom!
valeu pela visita!bjos

Long Haired Lady disse...

não costumo me arrepender o que esta feito esta feito e o que que não foi feito poderá ser...

Stella Tavares disse...

Gisa

Fui lendo, lendo e me encantando. Vou ficar mais um pouco em meio às suas palavras me encantando.
bjs