segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

BORBOLETAS

Deitava-se, apagava as luzes e começava a ouvir o som.
Não identificava da onde vinha e quem o entoava, mas era melodioso, quase doce.
O fato repetia-se há várias noites desde que havia decidido morrer para a vida.
Estava triste.
Tantas decepções fizeram com que ela se deixasse levar pelo acaso.
Não tinha mais nenhuma reação.
Não pertencia mais aquele meio, não tinha mais ambições.
Mas o som persistia, cada noite mais forte.
Cessava durante o dia.
Começou a esperá-lo.
Ansiava pelo anoitecer só para poder ter alguma sensação, já que estava seca para as demais.
Naquela noite o som havia crescido muito, estava vibrante e colorido.
Percebeu as luzes que escapavam do espelho pendurado no canto do quarto.
Levantou-se e aproximou-se, inicialmente com cuidado, em seguida com impetuosidade,
Debruçando-se sobre ele.
Via sua imagem refletida, só isso.
Foi chegando cada vez mais perto até que ultrapassou os planos.
De dentro do espelho olhou pela última vez para seu quarto,
Enquanto deixava-se devorar pelas borboletas, sorrindo.

13 comentários:

Guará Matos disse...

A entrega completa ao vazio. O despertar do nada.
Chocante demais.

Bj.

Déya disse...

UM ano inteiro se sentindo assim...
o pior da minha vida ...
o vazio a espera e consequencias infindas..

Lindo adorei!
bjO querida e até sempre..

Léo Santos disse...

Ótimo! Profundo! Surreal! Mágico!

Ô, guria! Sabes de uma coisa, tchê: - Baita poetisa que tu é!

Um abraço! Feliz Natal!

Zatonio disse...

Às vezes dá vontade de virar borboleta, e me devorar...Beijo!

Lully disse...

Sem falar no efeito borboleta...
Beijo!

Alê do Escrivaninha disse...

Cada post melhor hein linda amiga.
Parabéns gostei muito.
Abraços e até aproxima.

dja disse...

Nussaaaaa Lindonaaaa q lindooooooo. adorei, beijokas e um abraço pertadinho.

`·.·•¤ Hanabi ¤•·.·´ disse...

Que lindo que al final de tanto padecimiento se le dio una mágica oportunidad para comenzar de nuevo.

¡Muy lindo!

Besitos.

Li disse...

Lindo e profundo este texto. Parabéns!
Um beijo grande!
Li

Amapola disse...

Boa tarde, amiga.

Se nessas crises a pessoa pudesse sair do casulo e virar uma borboleta...

Um grande abraço. Feliz Natal.

Estou lhe seguindo.

Lufe disse...

Acho que esse som que ouvia era o turbilhão de sentimentos a aflorar e leva-la a despertar de novo para a vida, deixar de ser crisalida, deixar-se comer pelas borboletas do renascimento....

beijos querida.

Mimo Chic disse...

Gisa,
Minha linda , fizemos uma postagem de final de ano, que cabe no seu coração que esteve conosco...
bjs grandes muito amor e paz!
Lulu & Sol

Gisa disse...

O nada Guará choca mas alivia. Um bj querido amigo.

Obrigada Déya e até sempre! Um bj querida amiga.

Ah Léo, obrigada pelo carinho. Um beijão para ti guri e um Feliz Natal também!

Bem Zatonio autofagia sempre é uma opção, mas sempre é a última literalmente! rsrsrs
Um bj querido amigo.

Deixa assim Lully! Um bj querida amiga e bem-vinda ao universo dos blogs.

Obrigada Alê, um bj e até a próxima.

Nossa Dja, adorei o abraço "pertadinho" outro para ti também acrescido de um beijinhooo!

Oportunidades de recomeço são necessárias. Um bj Hanabi e obrigada por tua presença constante por aqui.

Obrigada Li, um bj grande querida.

Seja bem-vinda Amapola! Sim casulos como períodos de espera para renascimento são muito bons. Um bj querida amiga.Feliz Natal para ti também.

Sim Lufe, gosto de turbilhões, gosto de renascimentos, gosto da vida e de borboletas. Um bj querido amigo e obrigada por tua presença sempre constante por aqui! Tua visita já me é necessária.

Obrigada Lulu, obrigada Sol. Muita luz para vocês gurias neste Natal e futuro Ano Novo. Um bj grande e obrigada pela visita.