sábado, 21 de maio de 2011

RATOEIRA

No jogo rápido das palavras
Armo a ratoeira.
Em vez de queijo um poema
Em vez da forquilha de metal
Meus braços e pernas
Em vez da base,
Meu corpo deitado no chão...
Quem sabe um dia
Ela não percebe tua visão sorrateira
E desarma de um golpe
Com um simples pestanejar teu
Expondo, a luz do dia,
Toda tua vã estratégia de espionagem?
Assim, cuidado!
Ao ler presta atenção!
Mantém os olhos fixos, não respira e sai de fininho
Sem que eu perceba.
Se a ratoeira desmontar
Nunca mais serás o mesmo,
Pode confiar
Porque isso
Eu garanto, Jerry.

Ass: Tom

16 comentários:

Inaie disse...

Tadinho do Jerry...

C. disse...

Ahh, a que tempo você nos remeteu com a ratoeira, Gisa :-)

Ricardo Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MARILENE disse...

Sensacional!!!!!! Gostei muito, mesmo. Você se renova a cada dia.

Bjs.

David J. Pereira disse...

Gosto deste blogue!

Podes adicionar o meu aos links sff?

http://davidjosepereira.blogspot.com/

OceanoAzul.Sonhos disse...

Fabuloso Gisa!!
beijos e boa noite
oa.s

Meire disse...

Que lindooo!
adorei Gisa.
Um lindo fim de semana pra vc, bjo grande ;)

Sam. disse...

Ah nessa ratoeira de palavras com poema como iscas, caio fácil!! rsrs

Adorei a alusão com Tom e Jerry!

Bom domingo, Gisa!
Um beijo!

Betha Mendes disse...

Aventureiro!
Divertido e verdadeiro... ah, as ratoeiras!

bj

Betha

Lufe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lufe disse...

O rato sagaz
atraído pelo poema,
uma pergunta se faz:
Esta bela ratoeira
pernas, braços ainda armados
com esse olhar de matreira
acha que vai me pegar?
Rodeia, observa, provoca
aos poucos se deixa levar...
A armadilha sorrateira
se desarma assim que a toca
e o rato preso no susto
sente se desmoronar...
Ainda que bicho astuto
atônito não percebe,
mesmo que seja injusto
ela quer é namorar.

bjoca procê

Rogério Pereira disse...

O Jerry mete o focinho
sem pensar que faz asneira
Depois, ou larga o poeminho
ou fica na ratoeira

Resolve, com resolução
Que Tom nem é rata nem gata não
Larga poeminho e deixa uma carta
Com a seguinte descrição:

Caro Tom
Saquei sua gata
Lhe dei um beijo
e... fiquei com o queijo

Assina

Jerry

Anexo: a prova de que dei beijo em sua gata

Anderson Tomio disse...

Gisa,

Pelo trabalho que vens desenvolvendo no blog,
fazendo através do conteúdo de suas postagens,
algo que proporcionem a pensar e refletir sobre o conteúdo, deixei pra você um presente em meu blog que enfatiza isso. O selo - ESTE BLOG TRANSFORMA PESSOAS" ,resgate-o. Parabéns!!!

Com Carinho Anderson Tomio

megi disse...

beautiful poem.
Thank you,Gisa

Richard disse...

Tu m'amuses avec ton allusion au fromage et à la fourchette. :-)
Mais tu as raison. Il faut garder ses illusions et continuer de jouer le jeu. C'est l'une des recettes du bonheur. Ne tombons pas dans les pièges!

Marinha disse...

A cada dia mais envolvente teu versar, Tom! Tua criatividade encontra limite no céu, Gisa! :) Amei!!!
Bjo, amiga.