sexta-feira, 12 de agosto de 2011

TREM

O trem passava todos os dias na mesma hora. Ela corria para sentar embaixo do caramanchão que ficava na frente e assistir ao espetáculo. Usava seu melhor vestido, meias, sapatos e chapéu. A máquina passava veloz, desenhando com a fumaça branca arabescos no céu azul. Gostava do som, do ar que se deslocava na passagem de cada vagão e do calor que subia do atrito. Após, levantava-se, caminhava sobre as barras paralelas equilibrando-se no estreito caminho. Repetia o ritual diariamente e recolhia-se imaginando de como seria no próximo. Aquela manhã tudo foi diferente. Havia no ar uma aura mágica de partida. Arrumou-se com o mesmo zelo de sempre e sentou-se para aguardar. Quando ouviu o apito de longe anunciando a chegada correu para os trilhos fincando os pés na linha. Banhou-se na fumaça clara rodopiando enquanto subia aos ares. Coloriu o brilho do sol despedaçando-se em mil pedacinhos que choveram sobre a paisagem. Finalmente ia seguir o seu caminho.

12 comentários:

Rogério Pereira disse...

Então???
Partir?
Sem eu ir?

iglesiasoviedo disse...

Las sensaciones, las esperanzas, los anhelos guardados y mantenidos en nuestro interior tarde o temprano llega el momento, la situación propicia de mostrarlos y así dando suelta cumplirlos.
Adoro todo lo que escribes.
Un beso.

Flor de Jasmim disse...

Que esse comboio a leve ao sitio desejado.
Beijinho

wcastanheira disse...

Trens saudades dos trens da minha infancia, já não deixavam fumaça, porém fazíamos festas na estação, bela postagem, inteligente texto, pra ti guria bjos, bjos e bjossss

Cores da Vida... disse...

Eis, então, uma estória pitoresca...!! O tempo passou, ela se foi, mas ali ficaram os trilhos e a saudade, talvez.
Beijos,

Cores da Vida... disse...

Estamos juntas quanto aos trilhos..., rs [meu blog].
Bjs,

Dilmar Gomes disse...

Essa crônica trouxe o retorno da minha infância, amiga Gisa, e, as lembranças do passado mexem com a gente.
Um grande abraço. Tenhas um lindo finds.

Sonhadora disse...

Minha querida

Que essa menina tenha ido embalada pelos sonhos.
Como sempre adorei ler-te e deixo um beijinho com carinho.

Rosa

Julio Díaz-Escamilla disse...

Tienes que dejar a este lector subir a ese maravilloso tren y observar el delicioso paisaje. Por favor.
Un abrazo, prosa estupenda.

cidinha disse...

Olá, amiga Gisa. Passando por aqui, para desejar a vc um lindo fim de semana! Belo post Gisa. O trem trás sempre nostalgia, esse momento de ir e vir, despedida. Muita sensibilidade a sua, adorei. Bjs com carinho!

Richard Moisan disse...

Super scénario, Gisa! Je me verrais bien tourner ce film. Je situerais l'action dans les années 1940/50...
Bon week-end!

Evanir disse...

Muitas Vezes Deus Tira Alguem Que
Amamos Tanto.
Mais Esse Mesmo Deus Traz Alguem
Que Aprendemos Amar..
Por Isso NÃo Devemos Chorar
Pelo Que Nos Foi Tirado
E Sim ..Aprender A Amar O
QUE Nos Foi Dado ..
Nada Que È Nosso Vai Embora Para Sempre.
A Você Com Muito carinho um
feliz Domingo (DIA DOS PAIS)
Beijos No Coração.
Evanir.