segunda-feira, 14 de novembro de 2011

AUTORRETRATO

Peguei papel e lápis para fazer meu autorretrato.
Rabisquei, apaguei.
Tornei a tentar e novamente desisti.
Fui até o espelho conferir os traços.
Encontrei tantos que me atrapalhei.
Não sabia por onde começar.
Todos gritavam que deveriam vir primeiro.
Os olhos piscavam freneticamente na ânsia de seduzir.
A boca falava, murmurava, jogava beijos esperando ganhar no grito.
O nariz alongava-se, afinava-se e ameaçava trancar a respiração se não tivesse preferência.
Os cabelos voavam em rebeldia achando-se ser mais fundamental a moldura do que o conteúdo.
"- Chega!" - vociferei.
Afinal, como artista e modelo, deveria dar as ordens.
Calaram-se espantados com minha audácia.
Amassei o papel e guardei o lápis e a borracha.
Não quero mais.
Afinal, de que me serviria eu mesma
Congelada em um papel
No fundo de uma gaveta?

15 comentários:

Mª LUISA ARNAIZ disse...

Bárbaro frenesí para nada. Sabia decisión.

Richard Moisan disse...

Et je suis sûr que le dessin est beau, car, même si tes cheveux sont ébourrifés, tu es belle, Gisa.
Bon début de semaine!

OceanoAzul.Sonhos disse...

Imenso!

beijinho Gisa
oa.s

Gilmara Wolkartt disse...

O importante é viver! Com erros e acertos!
gd beijo

ANTONIO CAMPILLO disse...

Lo más difícil es retratarse con palabras. ¿Por qué esto es más impoortante que aquello? ¿Y si no pongo esto? ¿Y si digo que lo de más allá es mejor?
Nunca sabemos como somos.

Un fuerte abrazo, Gisa.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, juro que essa pérola eu nem vou comentar. Já estou em pé batendo palmas para o seu talento. Êta cabecinha boa e inspirada.
Beijo com muito carinho.
Manoel.

MARILENE disse...

Como sempre, você foi perfeita! Podemos nos olhar no espelho, sem necessidade de nos retratarmos, até porque, não traduziria nossa essência.

Bjs.

Flor de Jasmim disse...

Gisa
Intenso!!! Adorei amiga, o mais importante é viver.
Beijinho

Julie disse...

Me recordaste un autoretrato que yo también me hice hace tiempo, en un poema... y al final tendríamos que hacernos uno en cada hora. Precioso Gisa. Mi cariño.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gisalindamiga

Tu nunca estarás congelada em um papel, no fundo de uma gaveta. Eu jamais te permitiria que o fizesses. E, depois, como poderíamos viver sem ti?

O poema é lindíssimo; os traços, rebeldes; mas o retrato não se apaga.

Abç ao Eduardo, bjs às mininas é um 'tralmente, para tu. A Raquel manda bjs.

Álvaro Lins disse...

Congelada!?:)!
Enquanto fizeres poesia desta, nem pensar!
Bjo

iglesiasoviedo disse...

Yo, no me puedo imaginar el verte congelada en un documento y este guardado en el fondo oscuro de un cajón, imposible. Como se puede guardar o esconder el talento, la simpatía, el encanto , el hechizo que desprendes y que nos haces llegar tan magistralmente en tus poemas. Que haríamos tus incondicionales seguidores?.
Un gran beso.

Rogério Pereira disse...

Má decisão
Volte atrás
Desamasse o papel
recupere o lápis e a borracha.
e volte ao exercício
Guarde o resultado na gaveta
Daqui a dias verifique
se mantém a coerência
da sua inocência.

Faço isso várias vezes
para não perder a minha ironia
Sabia?

Carla Ceres disse...

Adorei, Gisa. Criativo demais! :) Beijos!

Dja disse...

Oie minha lindona.

Intensoooooo, o importante é viver
E vc congelada? nunquinhaaaa rsss.

beijos querida, preciso da sua poesia.