quarta-feira, 23 de novembro de 2011

TRÊS MULHERES

Três mulheres
Três sorrisos
Três magias.

A primeira encarregada de falar.
Conhecia de tudo um pouco
Transitava com elegância entre os diversos temas.
Aconselhava, discutia, divergia e concordava.
Analisava a tudo e a todos com palavras certeiras
Plenas de conhecimento,
Mas, apesar de tanta fluência,
Sabia calar, ouvir e confortar.
Levava como marca o símbolo da terra
Representante que era da sensatez das decisões.

A segunda encarregada de amar.
De sorriso fácil e carícias amplas.
Queria encantar e ser encantada,
Seduzir e ser seduzida.
Gostava do jogo de palavras.
Sabia enlouquecer quando queria
E sabia enternecer quando o necessário se impunha.
Entristecida soube renascer na alegria
Surgida de terras muito distantes
Sobre as quais brilha na sua mais pura essência
De mulher absoluta.
Levava como marca o frescor do ar
Uma vez que preenchia o espaço entre o céu e a terra
Beijando sempre o horizonte.

A terceira encarregada de arder.
Gostava dos corpos colados,
Na avidez dos embates.
Deliciava-se com os aromas cálidos dos suores
Que banhavam os alvos lençóis
Ou confundiam-se com o orvalho
Depositado na relva fresca
Sob os primeiros raios de sol .
Sabia o valor de uma música bem escolhida
Para tocar a luz de velas, regada a um vinho de fina safra.
Dominava a arte sinuosa dos movimentos compassados
Premeditados como em uma dança
Milimetricamente coreografada.
Levava a marca do fogo
Transmitindo calor aos que se aproximavam.

Três mulheres.
Três sorrisos.
Três magias.
Encontraram-se no cenário
Que ostentava a marca das águas
Olharam-se e,
Imediatamente, compreenderam a completude da qual faziam parte.

Três mulheres.
Três sorrisos.
Três magias.
Foram vistas pela última vez,
Sob o primeiro clarão da lua cheia,
Segundos antes de desaparecerem
Uma a uma
Sob o véu líquido e claro que vertia das pedras
E se precipitava na direção do pequeno riacho
Ao som de todos os seres
Que comemoravam, com entusiasmo,
A tão esperada união daquelas
Que nunca poderiam ter sido,
Um dia,
Apartadas.

17 comentários:

Paulo Francisco disse...

Três mulheres contruídas e unidas neste texto Bárbaro!
Um beijo grande

Carlos Lira disse...

Parabéns querida Gisa, perfeito, meu beijo

Carla Ceres disse...

Perfeição, Gisa! Esse me parece o poema principal, no qual muitos de seus outros poemas deságuam. Beijos!

Nos Amando... disse...

que lindo
Três mulheres.
Três sorrisos.
Três magias.
linda tarde de quarta
bjs

Rogério Pereira disse...

Três homens
Um só olhar
Três maneiras de estar

O primeiro,
Seu Contrário,
é sisudo, mas simpático,
assume a consciência dos três
É falador nos conselhos
Ouve nas queixas e lamentos
E deslumbra pela compreensão

O segundo
é Sua Alma
Muitas vezes surda aos conselhos
Embarca em coisas inauditas
Sejam feias ou bonitas
desde que lhe apelem ao sentir
Ama tudo e todos
É frágil sem o parecer
e sabe bem o jogo de esconder
Deslumbra pela ironia


O terceiro
é Ele.
Entre Seu Contrário
e Sua Alma
quase nunca perde a calma
Apaga incêndios de alma
com técnicas
pouco comuns
e de divulgação restrita
Deslumbra pelo "golpe de rins"

Foram vistos pela última vez
nadando com três mulheres
num pequeno riacho
de margens floridas
de papoilas e malmequeres

ANTONIO CAMPILLO disse...

Querida Gisa, creo que son una sola mujer. Las peculiaridades de cada una pertenecen a LA MUJER.
No se pueden separar en la mujer la racionalidad de la sabiduría de sus decisiones, la pasión del juego de seducir y ser seducida, ni la frialdad por codiciar los conflictos con un arrebato pasional destructivo.
LA MUJER, esa eterna desconocida, es triple y sencilla, son tres en una, quiere ser múltiple y es incomprendida, ama y solicita amor con tal potencia que es insaciable con los sentimientos.
Un retrato de LA MUJER especial y excepcional, Gisa.

Un fuerte abrazo.

Maria selma disse...

Que belo poema tres mulheres e cada uma com sua essência...
Amiga linda noite para você

Palavras disse...

Oi Gisa,

Terrra, fogo e ar
E a plenitude que tanto buscamos

Beijos

Cores da Vida... disse...

Parabéns! Gostei muito. Pitoresco, eu diria. Simpático, agradável, interessante.

Beijos,

Luís Coelho disse...

Todas as pessoas têm estas características.
Uns sabem viver executando mais as primeiras e outros as outras duas mas se soubermos trabalhar o nosso "ego" conseguiremos executar todas em perfeição.

Sempre nos enquadramos numa qualquer tabela.

Sérgio Pontes disse...

Intenso, sem dúvida. Beijinhos

Mery disse...

As três são um pouco de cada uma de nós*...
Ah! O comentário do Luís é o que eu achei mais adequado ao texto, ele captou a mensagem*.Amei; beijo da Mery*
Fica com Deus.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Tão bom seria poder unir estes três sentires num só e obtermos o caminho da perfeição.

Muito bom ler-te minha amiga
bjs
oa.s

Silenciosamente ouvindo... disse...

Fundir essas três mulheres numa só, daria a
mulher perfeita.
Beijinho amiga.
Irene

Filoxera disse...

M A R A V I L H O S O,
este post.
Parabéns!

Hugo Nofx disse...

Quem é português não pode deixar de se lembrar das 3 Marias.
bjs.

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa,

Outra leitura - as 3 Mulheres. Uma construção fabulosa em forma de poesia. É você sabe fazer isto muito, fazendo com carinho e amor.
Parabéns
Beijos de todo o coração
chico miguel