sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

QUÍMICA

Olhei para o tubo de ensaio.
Estavas lá dentro imóvel
Com as mãos espalmadas
Apertadas contra o vidro
Apenas observando.
Percebi que,
Apesar da tentativa em contrário,
Não conseguias conter o ar apreensivo.
Diverti-me por instantes pensando
Se queria realmente isso.
Fui à prateleira e peguei os compostos.
Dispus todos os frascos coloridos em fila.
Fechei os olhos e passei a recitar o mantra,
Enquanto pingava as gotas e medidas
Dentro do recipiente.
Após a explosão,
A fumaça dispersou-se pelo ambiente.
Em tons de transparência etérea das magias boas.
Já não estávamos mais lá.
Volatizados, corremos de mãos dadas
Buscando equilíbrio nos tênues raios de sol
Da última tarde de inverno
Das nossas vidas.

13 comentários:

Lena disse...

Gisa
Coisa boa voltar aqui!!! Depois de um looooooooooooongo segundo período de férias, tô voltando, cheia de saudades, visitando meus amigos com seus blogs maravilhosos.
Pra variar, me deparo com textos lindos, que não caem na mesmice, inteligentes, sem deixar, em momento algum, de serem belos e sensíveis.Bjkas com muito carinho!

a vida em toda a dimensão disse...

Que bom buscar o equilíbrio nos ténues raios de sol da última tarde de inverno das nossas vidas.
Gostei muito Beijinhos, Gisa.

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, tua criatividade vai ainda vai provocar uma explosão nos nossos cérebros.
Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

ANTONIO CAMPILLO disse...

¡Qué maravilloso experimento, Gisa!
Esa explosión que cambia todo y transforma en etérea una realidad, es sublime.
¡La magia y la química cogidas de la mano!
Así es, Gisa, se necesita: unas gotas de querer + una solución de cariño + un reactivo de voluntad → gran fortaleza + amor verdadero + placer ilimitado.
Unos productos de la reacción tan necesarios como importantes para una vida de felicidad.
Maravillosa conjunción entre química y poesía, Gisa.

Un inmenso abrazo.

P.D.: → : léase “para obtener”.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gisalindamiga

Excelente.

Um poema em tudo de ensaio é fabulástico! Tu fazes versos com tamanha facilidade e igual sentimento - que nem digo mais nada. Calo-me e respiro

Abç, qjs e um para tu

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, putz! Volatizei com essa postagem. Criatividade pura. Gostei muito.
Beijo carinhoso.
Manoel.

Quino disse...

Hola Gisa,

Una gran conjunción entre poesía y química. Estableces un equilibrio de sentimientos, imágenes, para que el alma vuele y encienda la luz que más desea.
Un placer pasar por tu casa.

Beijos dende Galicia,

Vera Lúcia disse...

Olá Gisa.
Sua criatividade encanta.
Gostei demais!
Beijos.

iglesiasoviedo disse...

Mas de una vez uno hubiera querido volatilizarse en una gran explosión, desaparecer, dejar de sufrir la indiferencia, el desamor, la tortura del martirio de no ser correspondido, cuando todo y todos miran para otro lado para no cruzarse con la mirada.
Un cálido beso.

Rogério Pereira disse...

FÍSICA

Olhou temente
a ponta da pipeta
e com toda a força
que um vidro não aguenta
forcou o tubo de ensaio
Partiu
e se feriu
A pequena gota de sangue
molhou a parte inteira
do vidro
O pedaço, partido
caiu
e ele caiu também
Caíram à mesma velocidade
pois é assim que caem
os corpos com a mesma massa
O vidro caído, ficou imóvel
Ele, levantou-se e fugiu da ameaça

Ela, incrédula
Inventou uma explosão
(que realmente apenas aconteceu
no seu coração)

Mas ele irá voltar
Está escrito nas leis da física
nuclear

Pum!

escritoaquente disse...

A partir daí, ficou Verão para sempre. Ou Primavera :-)
Beijos.

Richard Moisan disse...

Oh lala! Une bien triste mort. Tant qu'à mourir dans une explosion, mieux vaut la mort en faisant l'amour, non?

Dja disse...

OIe lindona.


Explosão pura de poesia

beijos querida.