segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

RETORNO

Assustado e arfando.
Lembrava muito menos do que desejava.
Ela vestia negro...
Sim, vestia negro.
O tecido era de bom toque, talvez ...
Veludo! Decididamente era veludo!
Cabelos castanhos, coque?
Não! Parcialmente soltos.
Parece que ainda os via descendo em cascata pelos ombros.
Mas alguma parte estava presa, sua face era clara.
Sua face...
Não distinguia mais com nitidez sua fisionomia..
Como pode? Tinha sido há poucos instantes.
Como não recordava?
Vasculhou os bolsos e encontrou a foto impressa
No papel de baixa qualidade.
Confirmou o vestido,de veludo  negro;
Os cabelos castanhos e parcialmente presos;
Mas o alvo rosto permanecia nublado.
Por quê?
Desesperou-se em procurar mentalmente a memória perdida.
Viu o sorriso largo, o nariz reto, o queixo redondo.
E os olhos, como seriam os olhos?
Foi invadido aos poucos pela onda mágica do calor.
Labaredas escarlates vinham de longe, cada vez mais vivas
Dentro do seu cérebro.
Sorriu ao entender que ela estava o chamando novamente.
Fechou os olhos e tentou navegar para o momento anterior
Na esperança de reencontrá-la.
Tinha certeza que conseguiria.
Já podia sentir seus olhos de fogo a queimarem-lhe a pele.
Retrocedeu o tempo e a alcançou
No meio da dança que haviam interrompido
Antes daquela inoportuna mudança de sonhos
Ocorrer.

9 comentários:

Rogério Pereira disse...

RETORNO

Não, não comento...
É demasiado belo este momento
Porquê comentar
se não sei que dizer
para o prolongar?

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, como bem disse o Rogério porque comentar, se não sabemos como prolongar? Então, dizer que ficamos estonteados diante da tua capacidade literária!
Um grande abraço. Tenhas uma linda semana.

Dilmar Gomes disse...

Amiga, Retificando o 2º parágrafo que ficou incompleto: "Então, digo que ficamos estonteados com a tua capacidade literária"
Um abração.

Maria Alice Cerqueira disse...

Muito boa tarde Amiga
Desculpe pelo meu silencio, não tem sido por esquecimento, mas por conta do momento que estou vivenciando!
Tem coisas que só o tempo pode curar , para poder voltar a sorrir ao vir lhe visitar.

Natal
É a reconciliação com o nosso coração, renovando o nosso interior com a força do Amor.
Natal
É aprender a reconhecer nossas faltas e nos perdoar pela nossa imperfeição humana, assumindo o compromisso da nossa renovação espiritual.

Tenha uma linda Semana coberta de muita paz e amor
Abraço amigo
Maria Alice

Lamarque disse...

parabens gisa, sempre retorno para dentro de mim mesmo - parabens lamarque

Flor de Jasmim disse...

Ai esse retorno que é delicioso Gisa.
Beijinho

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, que pena! Foi uma inoportuna mudança de sonhos mesmo.
Beijo no coração.
Manoel.

ANTONIO CAMPILLO disse...

¿Sueño o realidad? ¿Despertar de un sueño sin poseer conciencia? ¿Encontrarse consciente pero sin recuerdo claro? Todo es posible. Todo puede suceder cuando se ha perdido previamente la consciencia, ¿A causa de placer? Posiblemente.
¿Y si acabase...?:
...
Ocurrió.
Ocurrió como hacía unos momentos,
con tanto ímpetu,
con tanta pasión,
con tanto placer...

Un fuerte abrazo, Gisa.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Os sonhos são por vezes uma desilusão...
Beijinhos
Irene