sábado, 10 de dezembro de 2011

ROTINAS

Saiu e bateu a porta.
A porta fechou a vida.
A vida encerrou o sonho.
O sonho chorou a dor.
A dor desfez a lágrima e renovou o sonho.
O sonho inaugurou a vida.
A vida abriu a porta.
A porta deixou entrar
Batendo atrás dela
Para encerrar 
Tudo
Mais uma vez.
Antes de recomeçar

13 comentários:

Paulo Francisco (Pchico) disse...

E vivemos assim: de recomeços sempre.
Adorei.
um beijo grande

ANTONIO CAMPILLO disse...

Vivimos en un círculo perenne de recomenzar nuevamente todo. Es la rutina de lo cotidiano, serena, reiterada e imprescindible. ¿Sin la rutina hacia donde nos dirigimos? ¿A lo perennemente desconocido? Puede ser. ¿Y qué?

Un fuerte abrazo, Gisa.

Rogério Pereira disse...

ROTINA-GÉMEA

As almas não são gémeas
mas as rotinas são
O que se passou com a porta dela
passou-se o mesmo,
a ele, com a janela
No fim do ciclo
as vidraças, abertas de par em par
deixavam o sonho entrar
para a vida recomeçar

E assim, tudo recomeçou

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Gisa, que legal! Essa rotina se transformou num "moto contínuo". Muito bem bolado.
Beijo no coração.
Manoel.

iglesiasoviedo disse...

Asi es nuestra vida una y otra vez comenzar, abir y cerrar puertas, siempre buscando sin saber muy bien lo que, desechar lo alcanzado y comenzar de nuevo, ese es el juego de la vida.
Un garn beso y felices Fiestas.

Marthée Mulher disse...

Obrigada por seguir meu blogue. Conheci o seu ao encontrar sua postagem intitulada "Cena" e gostei bastante. Boa noite.

VeraBruxa disse...

Olá!
Abrir e fechar de portas...novos sonhos...alimento da vida. Tomei a liberdade de postar no face com os devidos créditos, claro.
Abração.

ELIZABETH DE LIMA VENÂNCIO disse...

Boa tarde Gisa, prazer em conhece-la, o eterno retorno no fluir de todas as coisas. Parabéns retratou um dilema vivo na humanidade.

Ángel-Isidro disse...

Hola Gisa, he visitado tu blog y tienes una
página con unos poemas preciosos, no es que
pueda sacarles todo lo que se podría si fuese
mas entendible para mi el idioma, pero veo y
leo tu cadencia que solo con mirar da a entender
lo gran poeta que eres. ¡¡Feliz Navida 2011!!
y año nuevo 2012. Un abrazo,
Ángel-Isidro.
http://elblogdeunpoeta.blogspot.com/

Miriam disse...

E nessa rotina a vida se segue...Bjus.

Fê-blue bird disse...

Um entrar e sair constante, é assim a vida!
Minha amiga curiosamente também tenho uma porta no meu ultimo post, será que é a mesma? :)

beijinhos

Julie disse...

La rutina nos hace grandes si sabemos desmenuzarla. Tu poema como siempre se sale de la rutina. Mi cariño.

Carla Ceres disse...

Perfeito, Gisa! :) Beijos!