sexta-feira, 17 de junho de 2011

CHARADA

Seis horas da manhã.
Ela acordou com o estrondo do trovão.
Abriu a janela.
A chuva torrencial criava uma cortina intransponível.
Ficou por instantes a pensar o que aquilo tudo significava.
De um ímpeto, lançou-se para fora rompendo a barreira,
Que surpresa, não a conseguiu conter.
Entendeu que os sentidos mais uma vez a testavam.
Sorriu ao perceber que havia decifrado a charada.
Seguiu o percurso refeita,
Apreciando minuciosamente todas paisagens 
Que se abriam a sua passagem
Naquela nova estrada, repleta de sol.

6 comentários:

Eu, Meu Contrário e Minha Alma disse...

...todos, em coro: Ela decifrou a charada!
Meu Contrário: Não decifrou nada!
Eu: Deu com a passagem!
Minha Alma: Como? se está dissimulada na paisagem?
Todos em coro: ...e temos o sol escondido para que não seja perseguido

Cai o pano, enquanto o sol se esconde, ninguém sabe onde...

Andradarte disse...

É sempre preciso um pouco de Audácia.....
Beijo

CHIICO MIGUEL disse...

Gisa, não te mando presente comprado no supermercado, mas peço a Deus mil graças para ti e por seres minha amiga, sempre lembrando de mim e me lendo todas as tolices que escrevo. Obrigado por tudo.
Agora, te peço que visite o site: http://www.abodegadocamelo.blogspot.com onde encontrarás um texto teu. Mostrei teu comentário a minha cronica para Mécia, minha mulher - ela gostou.
Abraços mil e outro tanto de beijos
FRANCISCO MIGUEL DE MOURA.

Rabiscando Poesias disse...

Oi Gisa, as vezes acordamos e temos a resposta para os medos e desejos né? bjs e bom dinal de semana

iglesiasoviedo disse...

Problemas, estados de confusión, no sabe uno que camino tomar.
Te encuentras solo, no es lo que quieres, te necesito, no la ves, de pronto todo se ilumina, sale el sol, sabes que es lo que tienes que hacer, ya esta a mi lado, ya la tengo con migo,ya no necesito nada mas, ya soy feliz.
Un beso.

Déya disse...

Nunca fui boa de respostas...

Beijos querida amiga..