sexta-feira, 3 de junho de 2011

SAGRADO

Apenas uma colocação inicial. Nos comentários ao post "PRISMA", publicado no dia 02 deste mês,  meu amigo Rogério do "Conversa Avinagrada" (http://conversavinagrada.blogspot.com)/  escreveu o seguinte:

"A refracção da luz solar
quando natural
é sempre bela,
espectacular
Sentou-se no chão para a admirar
por pura e mera distração
sem qualquer outra preocupação
particular
Eis senão quando
algo de inusitado apareceu
cruzando o céu
qual meteorito colorido
armonioso, meio veloz, meio brincalhão
após descrever um arco
se veio enfiar pelo chão
Chão tão próximo, que ali estava
que quase a coisa linda ele pegava
Não pegou, nenhuma pedra a agarrou
partiu terra adentro
sem ruido, impacto ou eco
apesar de ter aberto
uma larga galeria
Reforçou a curiosidade
e entrou por aquela entrada
levando consigo a impressão
de lhe ir acontecer coisa sagrada "

O post de hoje foi motivado por este comentário como uma retribuição do carinho sempre a mim dispensado e como uma brincadeira de continuação de histórias postas, que já está se tornando um gostoso exercício entre nós.

Assim, apresento:


SAGRADO

Um amplo salão abriu-se diante do seu olhar atônito. A umidade do ambiente fazia o ar quase irrespirável, mas produzia um lindo efeito quando em contato com a luz, que não se sabia de onde, invadia o espaço e se desdobrava em mil cores. O ar místico era reforçado pela melodia suave das inúmeras gotas que pingavam por todo lugar. Ele, em dúvida e ansioso, seguia em frente, caminhando com cuidado pelo musgo que crescia em todas as direções. Não sabia o que iria encontrar, não sabia o que queria encontrar. Simplesmente procurava algo que o chamava incessantemente. Ela, por sua vez, já refeita em seu vestido colorido o observava, procurando prever cada passo, cada deslocamento cuidadoso. Assustava-se com cada escorregão. Não podia sair da onde se encontrava. Com a queda abrupta, havia rachado a louça de que era feito seu corpo. Só lhe restava aguardar. A energia dos corpos, no entanto, já havia se encontrado e brincava emitindo vibrações e ondulações de toda ordem. Sabiam que estavam próximos. Sabiam que nada mais seria igual. Em um salto, de uma rocha a outra, ele a viu. Imediatamente, à medida em que ia caminhando, uma livre e firme trilha surgiu aos seus pés. Não havia mais cautela, não havia mais medo. Aproximaram-se. Ela sorriu e ele ajoelhou-se para verificar suas condições. No que chegou perto, pelas rachaduras da porcelana, ela o tragou para dentro das suas entranhas. Misturaram-se as essências e, em festa sagrada, fizeram-se unos. Fugiram em forma de luz escalando as pequenas gotas coloridas para viverem o resto da sua energia sorrindo e colorindo a paisagem.

BEIJOS
GISA

15 comentários:

Sam. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sam. disse...

Gisa, tu e o Rogério formam uma dupla sensacional!
adoro a maneira com que brincam com as palavras e dão vida aos sentimentos!

Um beijo, minha querida!
Bom final de semana pra ti!

iglesiasoviedo disse...

La verdad es que hacéis un dúo magnifico, este caso de dúos se da mucho en la literatura, tenéis que potenciar vuestros coloquios.
Un beso.

Rogério Pereira disse...

Espreguiçou-se retesando o corpo. Um frémito de luz incidindo no olhar fê-lo acordar, mas não totalmente. O sonho ainda lhe pairava na mente, de forma tão nítida com há muito não acontecia. Teria sido de facto um sonho? Só podia. Olhando à volta, quatro paredes nuas e uma porta. A janela, entreaberta deixava passar a brisa da manhã clara. Onde o amplo salão de então? Onde o ar místico, denso e quase irrespirável? Onde a ansiedade de a ter, calcando o fino musgo num incessante percorrer, de um para o outro lado, naquele local que lhe pareceu sagrado? Onde a sensação vibrante da comunhão de corpos? Onde a evasão o vale tudo inebriante dos seres que se libertam? Onde? Onde? Lembrava-se de tudo em pormenor e mantinha presente, em sua mente, com toda a nitidez, o sorriso dela. Que forte era a lembrança da forma assumida na fuga colorida com que os dois se embrenharam na paisagem. Sonho? Só podia ser, pois naquele local nenhum sinal havia do outro lugar sagrado. Enquanto pensava em redor olhava. Olhando como para confirmar se o que se tinha passado teria acontecido acordado e que agora sim, estaria a sonhar. Nesse olhar, deu-se conta que a num canto algo brilhava. Aproximou-se e pegou naquele pedaço de material brilhante e... Nem queria acreditar. Entre os seu dedos estava um pequeno pedaço de porcelana. Nada mais fez do que enroscar-se nesse canto. Cerrou os olhos e esperou o sono, na esperança de regressar ao sonho. Ao sonho sagrado. Não se sabe se o terá conseguido. Porventura sim, pois seu rosto sereno isso indicava e também um sorriso que dele se esboçava...

Lufe disse...

Em briga de cachorro grande o vira-latas senta no rabo e aprecia......rsrs
Sentado, aprecio e divirto-me.

bjoca procê

Paulo Francisco disse...

Uma bela parceria. Adorei.

Richard disse...

J'aime ce renvoi, cette comparaison des sentiments et cette similitude dans les réactions.
C'est beau. Merci, Gisa!

wcastanheira disse...

OI vizinha, mandou o beijo pra POVO NOVO? Mais uma vez vc esteve iluminada q postagem linda e realmente levando-nos a pensar, refletir, tú é show guria, pra ti, bjos, bjos e bjossssssss

Maria Alice Cerqueira disse...

Bom dia Gisa
Lindo post. Este cantinho é muito interessante. Gostei muito, virei aqui mais vezes para poder aprender mais um pouquinho das coisas belas da vida.
Tenha um Lindo final de semana, coberto com muita alegria e amor
abraço fraterno.
Maria Alice

Lena disse...

Oi, Gisa
Ambos lindos e complementares! Bjkas com muito carinho!

Luis Eustáquio Soares disse...

sagramente, gisa, sejamos profanos, profanamente, diante deste instante, pecaminosamente antes de tudo em relação
a tudo que é sacralizado em detrimento de seja lá o que for, de outro, da vida.
beijos
saudades de sua presença
de la mancha

Bergilde Croce disse...

Uma beleza e requinte no uso das palavras expressando sentimentos,parabéns pelo trabalho dos dois que escreveram tão bem!!!

Vieira Calado disse...

Pois sim!

É bem bonito o arco-íris.

Dizem que na sua base se encontra o ouro!...

Bjsss

Jorge Pimenta disse...

há palavras que nascem incompletas; precisam de uma boca outra para serem perfeitas.
admirável a parceria.
beijo para ti, gisa, e abraço para o rogério!

Cores da Vida... disse...

É muito bom encontrar parceiros. As idéias ganham outras proporções.

Beijos e bom domingo,