terça-feira, 21 de junho de 2011

PASSEIO

O telefone tocou como sempre
Ela atendeu como sempre
Uma voz do outro lado da linha,
De supetão,
Lançou-lhe um emaranhado de palavras
Que realmente não esperava.
Com frio na barriga, pernas bambas e respiração ofegante
Deixou-se envolver rapidamente sorrindo.
Quando deu por si, já não tinha mais saída
Acomodou-se o mais confortável que pode nas ondas sonoras
E partiu pelo fio pensando
Que mal teria se permitir um breve um passeio?

6 comentários:

M. disse...

Nenhum.

Gostei mesmo muito deste teu texto. Lindo!!!!

Marília Felix disse...

Passear aqui é sempre muito gostoso!

Beijos amiga!

Rogério Pereira disse...

Pena
Esse não ser
exactamente
o meu telefonema
Que pena

(Num sitio para onde naveguei
a decisão de passear não dependia dum querer...
Fica a saber)

Álvaro Lins disse...

Vou voltar mais vezes:)!
Bjo

ϟ Cynthia Brito disse...

Pois é, que mal teria?
Passear é sempre bom...
Que nos deixemos, também, levar pelas ondas sonoras que tanto nos convidam à um passeio!

Beijos, Giiiiiisa :P

OceanoAzul.Sonhos disse...

e porque não... em tuas palavras tudo faz sentido
beijos
oa.s