segunda-feira, 20 de junho de 2011

ÍRIS

 As sete fitas coloridas, destacadas com cuidado, foram dispostas em cima da mesa
Com a violeta recortou e moldou os olhos
Com a anil teceu os cabelos
Com a azul, o vestido cheio de borboletas
Com a verde, as pulseiras e colares
Com a amarela fez o corpo, braços e pernas
Com a laranja, os sapatos
Com a vermelha bordou a boca e as maçãs do rosto.
Deitou-se ao lado de sua obra a esperar mais chuva seguida de sol
Não via a hora de Íris ganhar vida
E juntas irem brincar de mergulhar, escorregar e nadar
Nas sinuosidades do arco...

9 comentários:

Olga disse...

Wow! Tantas cores no seu poema! Para mim o seu poema é um manifesto de amor e de vida em conjunto.

M. disse...

Par além da sensibilidade, a inteligência.

Vou gostar de te ler:)

OceanoAzul.Sonhos disse...

Poema com vida e cor repleto de formosura.
um beijo
oa.s

Arnoldo Pimentel disse...

Um poema cheio de cores e vida, beijos.

Déya disse...

É. O arco-íris é um dos fenômenos naturais
mais belos e esperados...
Adorooo..
beijos querida amiga...

Luís Coelho disse...

Um Arco-íris muito bonito.
Parece que nos faz renascer aquela vontade de ver as cores a brincarem.

Andradarte disse...

Arco-Iris brincalhão....
Beijo

Sandra disse...

Muito bom! Um poema colorido, talhado a sensibilidade.
5***
Beijinhos

Carla Ceres disse...

Bonito! Novas cores para antigas lendas. Beijos!