quarta-feira, 29 de junho de 2011

NOITE

Trovões e relâmpagos enchiam a noite de sustos
Essa, acuada, fugiu com a lua e as estrelas
Para detrás das nuvens.
Esperava o sol chegar logo para escondê-las com seu brilho
Só assim poderiam descansar, invisíveis, na imensidão do oculto.

14 comentários:

Marília Felix disse...

Eu estou com sérios problemas de saudades!

iglesiasoviedo disse...

La luz, el brillo del sol, en la claridad es donde me encuentro bien, descanso y vivo.
No en la oscuridad, con el trueno y la angustia.
Un beso.

Rogério Pereira disse...

Descansar, postos em sossego
Dentro da imensidão do oculto
Longe de qualquer ameaça e medo

Flor de Jasmim disse...

Mesmo invisiveis não deixam de existir.
Beijinho

Sam. disse...

Se ela soubesse o encanto que exerce não se esconderia.

Beijos, Gisa!

Olga disse...

You take any subject that you want and just wright beautifully about it!

Natalia Campos disse...

Tão bela a noite a nos surpreender! Adorei.
Beijos. Au revoir.

A.S. disse...

Gisa,

O meu beijO... e saudades!!!

AL

Andradarte disse...

O recolhimento é necessário....
Beijo

Vinicius.C disse...

Olá Gisa!

Seu texto parece dar as mãos a minha última postagem. Delicia de se ler!

Beijo e que você tenha um ótimo dia!!

Espero por vc no Alma!

Marinha disse...

Um tempo só para si é imprescindível!
Bjo, querida muito querida.

Carla Ceres disse...

Lindo! Perfeito! Amei. :)

Janaina Cruz disse...

Gi, minha querida, se existem coisas que desde criança eu temo, uma são noites de tempestades e outra o escuro...

Só mesmo o clarão de uma estrela me faria acalmar...

Linda poesia tua, que Deus te ilumine sempre.

Diogo Didier disse...

Interessante esse seu modo particular de escrita!