domingo, 24 de julho de 2011

CONSULTA

Sentou-se compenetrada diante da mesa coberta com a toalha vermelha
Concentrou-se embaralhou as cartas com calma.
Cortou. 
Cortou novamente.
Dispôs em três montes abrindo a primeira carta de cada
A dama de copas surgiu bem colocada entre o valete de espadas e o rei de ouros.
Agora já era tarde
Toda verdade veio à tona claramente
Detestavam a ideia de serem os intrumentos da revelação
Mas nunca se poderiam ter negado
A sua secular tarefa de oráculo.



23 comentários:

Lua Nova disse...

Adorei.
O blog, o texto, seu jeito de se expressar.
Vá tomar um chocolate quente comigo no meu blog. Vou adorar bater um papo com vc.
Beijokas.
Seguindo...

Ricardo Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eva Gonçalves disse...

Isto parece qualquer coisa que eu poderia ter escrito, rrssss Pois, depois de deitar as cartas, já não há volta! A verdade escarrapachada na mesa! Nunca podemos fugir ao destino se somos oráculo... :) Beijinho

Julie disse...

Bueno, que salgan muchas copas, muchos oros... la alegría y el dinero ayudan a pasar la vida. Interesante poema! Besos Gisa, me encanta tu poesía.

Rogério Pereira disse...

Ah, o jogo
o bruxedo
sem enredo
e as cartas
deitadas
viciadas
dando a verdade
que se quer

Só para ver
se trocaste de cartas marcadas
voltarei (podes crer)

Ricardo Calmon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nathacha disse...

Adorei... Lembrei de uma vez quando minha amiga tirou cartas para mim...


Seguindo o blog, retribui?

Richard disse...

Ah les cartes!... Voient-elles tout? Ce serait trop simple. Bien sûr, on doit suivre sa route, et les cartes la voient. Mais, où est la personnalité?
Bonne fin de soirée, Gisa!

Sérgio Pontes disse...

Olá, passei para dar um beijinho e agradecer a visita

Dilmar Gomes disse...

Amiga Gisa, passando por aqui para apreciar tua arte e para deixar o meu abraço. Desejo-te uma linda semana.

Espaço do João disse...

Passei para agradecer a visita ao meu espaço e, convidá-la a emborcarmos uma loira. Tá?
Voltarei.
João

Espaço do João disse...

Como o ano pode ter 365 ou 366 dias, passarei a ser o 366º seguidor.

Sam. disse...

Gisa, tuas palavras que aos poucos se juntam e que muito formam, provocam em mim a mesma comoção que Saramago cita no meu último post.
É bom voltar aqui e sentir esse despertar de poesia a flor da pele.

Saudades imensas eu tava daqui!

Obrigada pelo selinho! Honra, é recebê-lo de ti!
tô levando! =]

Um beijo!
ótima semana!!

Andressa disse...

demais.

Zé Carlos disse...

Uma semana maravilhosa para ti, Gisa, e aquele beijo de boa noite!!!!!

Zé Carlos

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu não gosto que me deitem as cartas.Prefiro
não saber. Boa semana para si.Beijinho

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Gisa.
Vim buscar meu selo e já o postei com muito prazer lá no blog.
Boa semana
Xeros

OceanoAzul.Sonhos disse...

O futuro tem o seu encanto, ou talvez não, sem para isso se tenham que deitar cartas.

beijos Gisa.
oa.s

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, gostei do texto...Espectacular.....
Cumprimentos

Vinicius.C disse...

Bom dia meu amor!

Como um jogo de cartas, onde os olhos embaralham cores.

Muito bom!

Um beijo enorme e um ótimo dia!

Espero por vc no Alma!

Beijo

Flor de Jasmim disse...

Gisa
O futuro nos dirá com o decorrer dos dias, sem que seja necessário colocar cartas.
Beijinho

Carla Ceres disse...

É verdade, as cartas não têm culpa. Quem mandou perguntarem? Beijos!

Letícia Giraldelli disse...

não gosto dessas coisas de ir lá, e descobrir o futuro!
O bom da vida é viver sem saber o que vai ser de amanhã....